A utilização do método não destrutivo para manutenção e instalação de redes de água, luz, telefonia e esgoto é uma tecnologia em franca ascensão no Brasil. Apesar de ser utilizada no país há pelo menos 20 anos, nas obras do metrô, na última década, este procedimento tem ganhado destaque com a chegada de novos equipamentos ao país e com o despertar do interesse de administradores públicos, concessionárias e empresas de telecomunicações, principalmente com promulgações de leis que incentivam a utilização de métodos não destrutivos para a execução de obras subterrâneas. É denominado método não destrutivo (MND) o processo referente à instalação, reparação e a reforma de tubos, dutos e cabos subterrâneos, que tem como objetivo diminuir ou eliminar a necessidade de escavações em obras. Atualmente, o método não destrutivo é considerado como uma atividade de aplicação geral e tem sido utilizado pelas empresas do setor em função dos benefícios atrelados a ele.

Quem conhece a metodologia de realização de obras de perfuração e instalação de redes através do MND sabe quão vantajoso é este método em comparação ao método tradicional (de abertura de vala).

Para auxiliar quem ainda tem dúvida sobre este assunto, a DRC empresa especializada em MND, listou cinco vantagens da aplicação desta técnica, confira:

Elimina a necessidade de abertura de valas: oferece praticidade, visto que não é preciso a abertura de valas a céu aberto para realização do trabalho, uma pequena abertura no piso já é o suficiente para realização da obra.

Não interfere no ambiente externo do local: centros urbanos, travessias de rios, ferrovias e rodovias são regiões onde a abertura de valas causaria diversos problemas como a paralisação de trânsito ou interdição de espaços. O método minimiza o impacto à comunidade e ao meio ambiente onde está sendo realizada a obra.

Reduz danos ambientais: as técnicas de métodos não destrutivos, como a perfuração direcional, são utilizadas para transposição de obstáculos naturais como rios, lagos, estradas, montanhas, rodovias e etc., visto que o MND provoca menor impacto ambiental à mata ciliar nas margens, não atrapalha a navegação do curso d’água e não influencia os lençóis freáticos, entre outros benefícios.

Reduz custos sociais: geralmente quando são abertas valas em ruas, avenidas e rodovias todo o seu entorno é influenciado, com mudanças de rota, trânsito maior, custos diferentes, etc. Qualquer grande obra tem impacto nos arredores, porém o método não destrutivo diminui os prejuízos e custos sociais.



Website: https://www.drcnet.com.br/