Em curso em alguns estados brasileiros e ainda aguardada em outros, à volta às aulas é um período frutífero para a coleta de insights estratégicos para o varejo. Isso porque a ocasião é comumente marcada pela procura pelo melhor preço por parte das famílias que precisam adquirir os itens sugeridos nas listas distribuídas pelas escolas.

Durante a maratona de compras, 66% dos consumidores têm a escolha motivada por promoções e descontos, o que indica a relevância significativa de ofertas atrativas na tomada de decisão, conforme apontam dados divulgados pelo relatório “Transformações e Desafios na Volta às Aulas de 2024”, da Ecglobal.

Há muito tempo, as citadas listas de materiais escolares são um ponto de debate entre pais e instituições de ensino. Neste ano, isso não mudou: 16% dos pais ouvidos pela Ecglobal relataram preocupações quanto à quantidade de itens sugeridos pela lista e 27% fizeram ressalvas quanto ao custo total dos materiais.

Pensando nisso, os consumidores tendem a organizar a compra por categorias de prioridade. Neste cenário, itens considerados básicos, como lápis, canetas e cadernos (84%) assumem o topo da lista. Em seguida, pastas, mochilas e estojos (62%) e, por fim, materiais artísticos como tintas e pincéis (59%).

Finalizando a ponta do consumidor, a Ecglobal perguntou aos entrevistados sobre as marcas que lhes vinham à memória ao comprar materiais escolares. Faber Castell (36%), Tilibra (20%), BIC (11%) e Kalunga (5%) lideraram as lembranças no recall de marcas varejistas. No segmento de papelaria, Faber Castell (23%), Tilibra (18%), BIC (11%) e Kalunga (11%) formam o Top 4.

O poder da oferta

Os entrevistados pela Ecglobal destacaram ofertas de descontos percentuais (23%) e frete grátis (21%) como as mais atrativas para itens de papelaria. Já as promoções no estilo “compre um, leve dois” e os cupons de desconto compartilham, individualmente, o gosto de 11% dos respondentes.

Adicionalmente, as cada vez mais populares ofertas de cashback se mostram atrativas para 10% dos consumidores e os Descontos por quantidade, indicados por 8% dos entrevistados, indicam uma preferência por economias escaláveis, algo essencialmente útil ao se considerar a extensão das listas de material escolar.

Leia também: Volta às Aulas: R$ 77,6 milhões são transacionados com compras de materiais escolares

MBA Mundo do Marketing