Os preparativos para o ano letivo de 2024 já começaram desde outubro de 2023. O terceiro trimestre registrou R$ 77,6 milhões transacionados com a compra de materiais escolares e didáticos, segundo levantamento da edtech Layers em seu marketplace. A plataforma é utilizada por instituições de ensino e stakeholders do segmento e os dados indicam um crescimento de 232,88% em relação ao mesmo período de 2022. Veja no gráfico a seguir o levantamento mês a mês:

compra de materiais escolares - valor transacionado

No período, o ticket médio alcançado foi de R$1.416,49. “O último trimestre do ano é quando as instituições de ensino que precisam comercializar materiais didáticos e escolares se mobilizam para oferecer condições de pagamentos e ofertas especiais para preparar o conteúdo programático e a organização da escola no ano seguinte. Isso acontece, pois as escolas precisam garantir fluxo de caixa para realizar melhorias antes do ano começar”, explica o CEO e especialista em tecnologia educacional da Layers, Danilo Yoneshige.

Do total das vendas, 80% foi direcionado à comercialização de materiais escolares como livros e apostilas. O restante dividiu-se entre matrículas, rematrículas e outros, como atividades extracurriculares, uniformes, alimentação etc. (16%) e eventos, como formaturas, passeios, datas comemorativas etc. (4%).

Segundo Yoneshige, o período de compras deve se estender até fevereiro e a expectativa é que as vendas da plataforma ultrapassem os R$ 500 milhões. Na plataforma da Layers são atendidas mais de 1.900 instituições de ensino e pelo menos 750 mil alunos.

Compras on-line

Segundo a pesquisa realizada pela empresa Octadesk em parceria com o Opinion Box, 85% dos consumidores entrevistados compram na internet pelo menos uma vez por mês, enquanto para 62%, a frequência é de de duas a cinco vezes, mensalmente.

Para Yoneshige, essa tendência é uma herança da pandemia, que se estendeu ao setor da educação. “Quem precisou da internet para comprar durante a pandemia, como fazer mercado, por exemplo, entendeu que poderia fazer isso para tudo. A comodidade e a competitividade de preços fez o dono da escola entender que ele precisaria se adequar também, se não poderia ficar para trás”, concluiu.

Case FTD – Volta às aulas 2024

Para reforçar o plano de vendas nos canais digitais da companhia, a FTD Educação investe em seu novo e-commerce, a Lumisfera, e passa a contar com parceiros reconhecidos no mercado, como o Adobe Commerce, que atende empresas como Nescafé e Vivo, na área de tecnologia; e Luft, Loggi e Moove3, que atuam com Amazon e Shopee, na gestão de estoque e entregas. Já a AlgarTech é a responsável pelo BPO (Business Process Outsourcing, em português, terceirização de processos de negócios) do atendimento na Lumisfera.

Com a entrada destes novos parceiros, o ciclo de Volta às Aulas 2024, que teve início em novembro de 2023 e segue até final de março, passará a oferecer a opção de frete “SDD” (same day delivery, em inglês, ou entrega no mesmo dia) a partir do final de fevereiro, para a cidade de São Paulo (SP), considerando o horário de compra. A expectativa é ampliar o modelo SDD, inédito no segmento educacional, para outras capitais ao longo do ano.

“A iniciativa do frete SDD vai equiparar a Lumisfera à experiência de compra de grandes players do mercado de e-commerce, como a Amazon, sendo a pioneira no ramo de educação. Queremos ser uma referência em entrega de material didático, reforçando que temos alta capilaridade e atendemos escolas e famílias em todo Brasil”, comenta André Tavares, diretor de operações e relacionamento da FTD Educação.

A jornada de compra também foi simplificada: em até três cliques após o login na plataforma, o consumidor poderá finalizar seu pedido, além de suporte humano via chat durante toda etapa de navegação.

Em 2024, a meta é ultrapassar mais de 400 mil pedidos na plataforma, e atingir a participação de 50% de todo faturamento do mercado privado da FTD Educação, superando o recorde histórico de mais de 300 mil pedidos do ano anterior, que representou 40% da captação de receita do mercado privado da empresa, em 2023.

Campanhas full digital

Para expandir a presença digital e a estratégia B2C, com visibilidade nos principais veículos de mídia, buscas orgânicas e conteúdo, a FTD Educação passou a ser atendida, desde outubro, pela agência de performance digital Performa Web (PW), responsável pela gestão de mídia, campanhas full digital e CRM no e-commerce.

A FTD também renovou, pelo segundo ano consecutivo, a parceria com a Cadastra para sustentação do trabalho com foco em SEO e inbound marketing. A estratégia da agência ampliou em 700% o número de novos usuários nas buscas do Google. Também colocou a FTD no Top 10 de resultados em mais de 600 palavras-chave no buscador, de forma orgânica (sem envolvimento de compra de mídia), um recorde histórico da marca.

“Neste ciclo de Volta às Aulas iremos consolidar nossa presença digital, ampliando consideravelmente nossa cobertura de buscas, comunicação e campanhas.  Nosso objetivo é manter a presença reforçada neste período de forte sazonalidade do mercado educacional e ir além: construir uma cultura de venda ‘Always On’ no segmento editorial, com base em dados e segmentações assertivas”, comenta André Tavares.

Leia também: 5 tendências prontas para transformar o e-commerce brasileiro em 2024

MBA Mundo do Marketing