Interesse crescente pelo metaverso pode gerar oportunidades para o comércio de US$ 1 tri até 2025, aponta Accenture Bruno Mello 6 de janeiro de 2023

Interesse crescente pelo metaverso pode gerar oportunidades para o comércio de US$ 1 tri até 2025, aponta Accenture

         

Consumidores têm interesse em experiências de solução de problemas relacionadas a fitness, varejo, saúde, viagens e mídia

Publicidade

Apesar de parecer uma tecnologia ainda muito distante da realidade, o metaverso já vem conquistando o interesse de consumidores e empresários. De acordo com a Accenture, 55% dos quase nove mil consumidores entrevistados enxergam o metaverso como uma oportunidade de negócios para a criação e monetização de conteúdo. 

Entre os executivos C-Level, 89% acreditam que o metaverso terá papel importante no crescimento futuro de suas empresas, de acordo com um levantamento paralelo realizado com 3.200 executivos C-suite. Os dados coletados sugerem que, até o final de 2025, 4,2% da receita das empresas, ou US$ 1 trilhão, poderão ser gerados a partir de experiências e comércio no metaverso.

Além disso, o levantamento indica que 55% dos consumidores querem ser usuários ativos do metaverso e 90% deles querem concretizar esse plano ao longo do próximo ano. Os principais recursos que os consumidores desejam são interfaces fáceis de usar (70%) e acesso a uma ampla variedade de aplicativos (68%), superando recursos mais comuns, como fones de ouvido chamativos (55%) e personalização de avatares (55%).

Maturidade

Ainda que o mundo dos games seja atraente para 59% dos usuários do metaverso, apenas 4% dos consumidores o enxergam como mera plataforma de jogos. Na verdade, 70% pretendem usar o metaverso para acessar produtos e serviços de mídia e entretenimento, fitness, varejo, viagens e saúde. Essas preferências podem variar de acordo com a idade consumidores mais jovens se mostram mais interessados em mídia e fitness, enquanto os mais velhos buscam novas formas de acesso a serviços de saúde. O que todos têm em comum é o desejo de aprimorar o que já fazem no dia a dia, como praticar atividade física em casa (60%) ou melhorar a interação com profissionais da saúde (55%).

Para Kevan Yalowitz, líder da prática de Software & Platforms da Accenture, “os consumidores estão começando a enxergar o metaverso como uma ferramenta essencial que, ao ser integrada em suas vidas, poderá agilizar a forma como concluem tarefas do dia a dia e aumentar a produtividade. Na indústria do metaverso, que está em rápida formação, as empresas capazes de oferecer experiências tangíveis que atendam às necessidades do consumidor em áreas-chave sairão na frente”.

Diante de todos esses fatos apresentados no estudo, as empresas precisam ser estratégicas para aproveitarem essa oportunidade acerca das mudanças do modelo de negócios possibilitadas pelo metaverso, ao mesmo tempo em que se envolvem com todos os stakeholders na hora de anunciar as experiências criadas: 

– Seja criativo e foque na simplicidade – As empresas devem investir apenas em experiências no metaverso que atendam às necessidades dos seus usuários. A criatividade é importante, mas é preciso primeiro entender a demanda para depois dar o segundo passo que é focar nas estratégias e desenvolver novos modelos operacionais que sejam assertivos no metaverso.

– Comece pequeno e mantenha o foco – As empresas devem abordar o metaverso com uma mentalidade criteriosa e focada no cliente que atenda habilmente às suas necessidades. Elas também devem se concentrar em entender de que forma podem aplicar o metaverso a diferentes partes do negócio.

– Fique de olho nas etapas de construção iniciais – O metaverso e os ecossistemas Web3 estão se desenvolvendo rapidamente e lançando novas oportunidades para geração de valor. Isso continua a abrir novas portas para as empresas, desde que elas atinjam as áreas certas de forma rápida, mas cuidadosa.

Leia também: Projeções das marcas no Metaverso, Web 3.0 e dados: como a tecnologia mais democrática impactará negócios


Publicidade