A Vanguarda do Varejo: Inteligência Artificial, Retail Media e a conexão D2C Bruno Mello 26 de janeiro de 2024

A Vanguarda do Varejo: Inteligência Artificial, Retail Media e a conexão D2C

         

Fabio Fialho apresenta os pontos que foram mais marcantes, em sua visão, e que podem auxiliar os profissionais brasileiros

A Vanguarda do Varejo: Inteligência Artificial, Retail Media e a conexão D2C
Publicidade

O segundo dia da NRF 2024, principal evento de varejo do mundo, foi marcado por palestras sobre Retail Media Networks, relacionamento com o consumidor e com a geração Z, além da trajetória de vida e profissional de Magic Johnson e Ed Stack, que foram os grandes destaques.

A lenda do basquete, o ex-astro da NBA e, atualmente, empresário, Earvin “Magic” Johnson, deu um show na sua palestra que trouxe uma série de aprendizados de sua carreira e paralelos com esporte e liderança. Magic falou sobre a importância de ter bons adversários, das dificuldades de se manter no topo e, para mim, o que mais me impactou foi ter planos e metas de no máximo três anos.

Em seguida, tive a oportunidade de ouvir a história do executivo Ed Stack, Executive Chairman da Dicks’s Sporting Good, nomeado na noite de ontem como o destaque do ano, na premiação Visionário 2024. Falou sobre os altos e baixos de todos os negócios e de como se aprende mais com os erros do que com os acertos. Contou sobre decisões importantes que já precisou fazer, como a de banir as vendas de armas em suas lojas.

Já a palestra sobre Retail Media Networks trouxe vários insights. Estamos na era de ouro, em que o varejo físico é a nova TV, pois oferece alcance, qualidade e relevância cultural.  Ou seja, o varejo físico precisa estar atento para poder se beneficiar do Retail Media como nova fonte de receita (o que não é novo), mas a forma de monetização e venda de dados. Também é possível ampliar ganhos com  Publicidade, essa é uma nova  oportunidade para Varejo (receita) e Indústria (visibilidade e dados). Esse é um caminho sem volta.

Outra palestra marcante foi sobre estratégias digitais para decodificar a geração Z. Apesar de serem nativos digitais e terem no digital uma facilidade, é um público que as expectativas são altas e que estão em volta de muitas possibilidades. Eles estão abertos para compartilharem os dados, mas esperam que as marcas façam algo relevante com estas informações. Fica claro que é parte do negócio acompanhar essa geração para se adaptar e que o principal desafio é fidelizar esses clientes.

Já o presidente do Shopify, Harley Finkelstein, bateu um papo animado com a fundadora da BÉIS, Shay Mitchell, e a CEO da Glossier, Kyle Leahy. Essa palestra foi focada no D2C (Direct to Consumer), no qual foram enfatizados que marcas com tão pouco tempo de vida – 5 anos no caso da BEIS e 10 no caso da Glossier – conseguiram revolucionar os seus mercados.

As principais lições foram a possibilidade de ter um feedback mais preciso do cliente e consegue traduzir melhor sobre a ocasião do consumo, além de uma maior proximidade com os clientes. O D2C é uma tendência que deve continuar a crescer nos próximos anos.

As empresas que querem se manter competitivas no varejo precisam estar atentas a essas tendências e investir em inovação. Percebe-se que o futuro do varejo é omnichannel, onde o consumidor está.

*Fabio Fialho é CMO da Infracommerce


Publicidade