13 principais tendências para 2024, segundo a WGSN Bruno Mello 3 de janeiro de 2024

13 principais tendências para 2024, segundo a WGSN

         

De ferramentas a hábitos de consumo, cada ponto se interliga com a realidade esperada para o ano de 2024

13 principais tendências para 2024, segundo a WGSN
Publicidade

Antecipar o desejo do consumidor, poder prever o que ele buscará e o que estará mais presente nas campanhas, prateleiras e vitrines (virtuais ou não) é um dos maiores trunfos que as empresas podem ter. Afinal, isso significa maior chance de venda e fidelização. Consequentemente, menos riscos e maior retorno ao orçamento investido. Pensando nisso, a WGSN listou 13 tendências que impactarão a sociedade como um todo.

De ferramentas a hábitos de consumo, cada ponto se interliga com a realidade esperada para o ano de 2024. Confira:

Cocriação com a IA

Os designers criarão cada vez mais em conjunto com a IA generativa, aprimorando a experimentação e a produtividade. Por meio de recursos de IA de baixo código/sem código, os designers podem dedicar mais tempo ao aspecto criativo do trabalho e menos à parte técnica da programação. Nesse cenário, as empresas terão que revisar seus processos e protocolos para receber um novo tipo de colaborador, que se sente mais confortável com o uso dessas ferramentas e está sempre disposto a experimentar.

Assistentes de IA

As ferramentas de IA estão ajudando os consumidores com as tarefas que eles não querem fazer. A IA também está assumindo tarefas repetitivas e sendo usada em segmentos inusitados, atuando como personal shopping e life coaching. Nos EUA, as plataformas Buzzfeed e Cnet já estão usando a IA para criação de conteúdo, enquanto a Coca-Cola lançou um projeto de uso da IA de modo holístico em todas as áreas da empresa.

Assistentes de IA

Alfaiataria de brechó

Roupas sociais compradas em brechós incorporam uma personalização artesanal a essa nova visão do vestuário urbano. A principal característica do look é a mistura de itens novos e de segunda mão por meio de uma proposta eclética, com elementos artesanais e DIY. A tendência acompanha a rebeldia e o desejo por inclusão da Geração Z, baseado em uma proposta agênero. Blazers, gravatas, riscas de giz e ombreiras dos anos 80 com cara de brechó se misturam para reimaginar a alfaiataria, levando um toque fashion à moda urbana para atender uma nova geração.

Alfaiataria de brechó

Jeans biodegradável

Os inovadores estão criando soluções de fibra para reduzir o desperdício de jeans. Considerando que são produzidas anualmente mais de dois bilhões de calças jeans em todo o mundo, fica claro por que é fundamental criar soluções diversas para lidar com verdadeiras montanhas de resíduos têxteis. a Candiani Denim (Itália) lançou um jeans biodegradável com stretch usando sua tecnologia patenteada plant-based Coreva, cujo stretch de aparência emborrachada substitui as fibras à base de derivados de petróleo.

Jeans biodegradável

Cortinas

Depois de anos de devoção às janelas, o consumidor vai se interessar novamente pelas cortinas. Cada vez mais, as cortinas serão usadas para separar os espaços com delicadeza, dispensando o uso de paredes. Antes consideradas fora de moda, elas serão agora fundamentais para revitalizar moradias de aluguel (para pessoas que gostariam de fazer uma reforma, mas estão com o orçamento apertado), ou como toque final em cômodos que foram reformados no início da pandemia.

Cortinas

Casa multiespécie

Prepare-se para ver os espaços onde moramos se adaptarem às necessidades de nossos companheiros peludos ou verdes. A casa multiespécie atende diversas gerações – de Baby Boomers e pessoas da Geração X, que adotam aves, cães e gatos, já que os filhos se mudaram de casa, aos Millennials e à Geração Z, que tratam seus pets como filhos e suas plantas como companheiras.

Casa multiespécie

Apricot Crush

Essa cor viva tem apelo junto a um público interessado em revitalizar o corpo e a mente. Cor do ano da WGSN para 2024, o Apricot Crush vai atrair um consumidor que lida com uma série de emoções e sentimentos de incerteza em relação ao futuro. O Apricot Crush cumpre um papel psicológico, capaz de inspirar sentidos de esperança e positividade em tempos de incerteza.

Autoentretenimento

Em um futuro em que ‘tempo de deslocamento’ e ‘tempo livre’ serão sinônimos, o consumidor vai usar o carro para trabalhar, descansar e se divertir. Os assistentes inteligentes levarão os recursos da sala de estar aos veículos, transformando-os em terceiros espaços móveis, com um número de experiências variados.

Autoentretenimento

“Ordenha” vegetal

O fim da abundância e a necessidade de fontes alternativas de ingredientes vai levar a uma revolução na beleza sustentável, e a chamada ordenha vegetal vai despontar como solução.

Com baixo impacto ambiental, esse método de cultivo aeropônico extrai os ingredientes ativos das raízes das plantas e agrada o grupo dos consumidores Protópicos, maximizando a produção e minimizando o uso da água e do solo.

"Ordenha" vegetal

Beleza da terra

Conforme a prioridade das práticas sustentáveis passa a ser a preservação, o solo será reconhecido como um recurso vital a ser protegido e revitalizado.

As marcas de beleza sustentável vão mostrar que é fundamental cuidar do solo como se fosse a nossa pele. No setor de embalagens, os materiais ativos que emitem substâncias benéficas ao solo em seu processo de compostagem – como potássio e nitrogênio – ganharão cada vez mais espaço.

"Ordenha" vegetal

Aprendizagem social

Os espaços de aprendizagem social vão misturar experiências coletivas e cursos de capacitação. Essas instituições devem substituir o campus universitário ou o escritório em um mundo cada vez mais remoto e nos ajudando a encontrar comunidades formadas por pessoas com gostos parecidos.

Aprendizagem social

Cozinha de terceira cultura

Novas cozinhas híbridas misturarão heranças culinárias ricas de lugares diversos. Em 2024, um mix diverso de cozinhas de terceira cultura vai se estabelecer como um gênero próprio, com pratos e sabores que vão inspirar novos produtos industrializados, criando uma gastronomia que mistura diferentes tradições culinárias.

Drinks como refeições

Nos coqueteis, o sabor umami está entrando no lugar do gosto doce.

À medida que o interesse por novos sabores e experiências sensoriais não para de crescer, os mixologistas estão usando ingredientes amargos, picantes e salgados, bem como o umami, para criar drinks com o sabor de pratos clássicos. Em Hong Kong, o bar The Savory Project criou o drinque Thai Beef Salad, com carne, amendoim, limão kafir, chilli, coco, rum e bife Angus biltong. Um exemplo de novos sabores é a Doritos, que lançou uma bebida destilada sabor queijo nacho.

Drinks como refeições

Leia também: Estilo “Digitopia” é tendência para o mercado pet em 2025, aponta WGSN

MBA Mundo do Marketing


Publicidade