10 erros cometidos pelas marcas ao criarem conteúdo. Especial Web Summit Rio 2023 Bruno Mello 3 de maio de 2023

10 erros cometidos pelas marcas ao criarem conteúdo. Especial Web Summit Rio 2023

         

Graham McDonnell listou erros mais comuns que marcas incorrem no primeiro dia do Web Summit Rio

10 erros cometidos pelas marcas ao criarem conteúdo. Especial Web Summit Rio 2023
Publicidade

Em um passado não muito distante, quando as marcas se viram obrigadas a criarem conteúdo para chamar atenção das pessoas, especialmente na internet, a corrida pelo engajamento, likes e vendas é cheia de obstáculos, a começar pelo fato das marcas não serem especialistas em conteúdos, mas sim no que vendem.

Por isso, é fácil, e até natural, que elas cometam erros neste percurso. A questão, agora, é superá-los o mais rápido possível. Por isso, Graham McDonnell, chefe global de marca e criação da Time e ex-diretor criativo do New York Times, listou durante o primeiro dia do Web Summit Rio, os 10 erros mais comuns que as marcas incorrem.

O primeiro engano é básico: muitas empresas desenvolvem conteúdos sem definir um objetivo. “Na sequência, é preciso ter KPIs”, aponta McDonnell. O segundo erro é ignorar o que o executivo e especialista chamou VAM, que é o valor gerado da intercessão entre o que a marca quer, o que a audiência quer e o que o veículo pode entregar. Deve haver um equilíbrio entre todos esses interesses.

O terceiro erro remonta aos primórdios do branded content: criar um conteúdo de marca como se fosse um comercial “Quando deve ser ao contrário: o conteúdo deve estar inserido de forma contextual”, ressalta McDonnell.

O quarto erro que as marcas cometem ao criar conteúdo sem contar uma história. É o que você já deve ter ouvido sobre storytelling. “Quando você dá uma informação, as pessoas esquecem, mas quando você conta uma história, a retenção é muito maior”, ensina.

O quinto erro também chega ser primário, porém, muito comum, que é colocar a marca como herói, como protagonista da história, quando esse papel deve ser desempenhado pelas pessoas.

O sexto engano cometido pelas marcas ao criarem conteúdo é privilegiar a quantidade sobre a qualidade. “Marketing de Conteúdo é como se fosse um encontro, se o primeiro for ruim, não haverá outros”, exemplifica o executivo da Time.

O sétimo erro também é muito comum, especialmente na febre dos podcasts que tivemos. Por que não fazer um podcast? Pensar primeiro no formato e não no conteúdo é um equívoco, uma vez que é a história, o conteúdo, que vai chamar atenção e engajar.

O oitavo erro é “pegar muito pesado no design”. O conteúdo deve estar inserido nas publicações como se fosse nativo. Se está chamando muita atenção “como se fosse um anúncio”, está errado.

O novo e o décimo erro estão ligados ao oitavo e são coirmãos, que é sacrificar todas as melhores práticas para se destacar e dar motivo para a audiência pular o seu conteúdo. É como você chamar atenção colocando uma melancia na cabeça. Um bônus, é ter pensar no conteúdo de marca de forma integrada ao evitar todos esses erros comuns.

Leia também: Como classificar tendências, pendências e urgências para o sucesso do negócio


Publicidade