De acordo com um estudo feito em março de 2022 pela empresa de comunicação SimpleTexting, realizado com usuários entre 18 e 75 anos, que levava em consideração aspectos como circulação de discurso de ódio, desinformação e cyberbullying, o Twitter é a rede social mais tóxica da Internet em 2022 e foi anunciado como tal em setembro do mesmo ano nas mídias do Brasil.  

O ano de 2022 também foi supermovimentado na empresa depois de ser comprada por Elon Musk, em outubro, por US$ 44 bilhões. Logo após a aquisição, as polêmicas se iniciaram, e as especulações de fim da plataforma ganharam força.   

Mesmo com Elon Musk dizendo que ao comprar o Twitter seu objetivo era de “garantir a liberdade de expressão na influente rede social”, as coisas começaram a desandar já nos primeiros meses. Grandes executivos foram demitidos, e uma série de demissões voluntárias aconteceram, além de declarações de Musk a respeito de que os funcionários que quisessem continuar na empresa deveriam “trabalhar duro”.   

Com esses primeiros resultados, houve diversos comentários sobre o fim da rede social e o aparecimento de outra que tomaria o seu lugar. Enquanto isso, o novo proprietário fazia publicações irônicas em seu perfil sobre a situação e dizia que o Twitter estava com um número recorde de usuários.  

Entre as mudanças que foram feitas, uma que causou bastante repercussão foi a possibilidade de comprar o selo de verificação de conta por US$ 8, o que antes era concedido após uma verificação da empresa, e fez com que as ações da companhia caíssem 4%. Além disso, perfis falsos de grandes negócios e de pessoas famosas começaram a aparecer com selo de verificação e a publicar mensagens, confundindo e indignando os usuários.   

Horas depois, Musk cancelou a venda dos selos, mas após poucos dias a plataforma se pronunciou dizendo que a funcionalidade iria retornar com alguns ajustes. Assim, no início de dezembro, o empreendedor tuitou que iria retirar todos os selos azuis, com exceção das empresas e dos órgãos que tivessem sua identidade comprovada. Hoje é possível ver contas como Microsoft, Apple e Google, por exemplo, com selos amarelos e órgãos do governo e políticos com o selo cinza.  

Em meio a tantas polêmicas, Elon Musk resolveu fazer uma enquete em seu perfil do Twitter para decidir se continuaria no cargo de CEO da empresa ou não. O resultado foi favorável à saída dele, que respondeu dizendo que iria sair quando encontrasse alguém “suficientemente tolo” para aceitar o cargo.  

Nas últimas semanas, foi noticiado que o dono da rede perdeu US$ 200 milhões em 2022, e que ele estaria dando mais atenção para o Twitter do que para a Tesla, acarretando a desvalorização da empresa. Dessa forma, Musk perdeu o seu posto de homem mais rico do mundo, com US$ 340 milhões, ficando atualmente na segunda posição, com US$137 bilhões, de acordo com o ranking diário de bilionários da Bloomberg.    

ATUALIZAÇÕES 

Algumas atualizações que podemos esperar para 2023 são:  

– Renovação na interface da plataforma. 

– Botão de favoritar conteúdo. 

– Tuítes mais longos.  

*Por Ana Carolina Inácio – Social Media da Leonora Ventures, corporate venture builder catarinense que tem a missão de impulsionar o crescimento de startups que atuam com tecnologias inovadoras no setor de varejo, logística e educação.