Rio Festa: portal de entretenimento vira grande negócio 10 de junho de 2008

Rio Festa: portal de entretenimento vira grande negócio

         

Depois de lançar o site, Grupo Boa Diversão desenvolve projetos para eventos e já pensa em abrangência nacional

Publicidade

<p class="titulomateria">Rio Festa: portal de entretenimento vira grande negócio</p> <p>Por Thiago Terra<br /><a href="mailto:thiago@mundodomarketing.com.br">thiago@mundodomarketing.com.br</a></p> <p>Há quase dez anos o público jovem carioca ganhou uma referência na busca pelas melhores festas da cidade. O site Rio Festa começou a ganhar reconhecimento com as famosas fotografias tiradas durante a noitada dos jovens, às vezes indesejadas principalmente por pessoas comprometidas, mas adoradas por aqueles adeptos do voyeurismo.</p> <p>Com um baixo investimento inicial resultado de uma estratégia caseira de Bruno Abreu Amado e Allan Sant'Anna, o Rio Festa recebeu seu primeiro investimento financeiro graças à sensibilidade dos pais dos sócios. Hoje com cerca de trinta funcionários diretos e indiretos, o que começou com um site de festas já vislumbra o seu próprio espaço para eventos.</p> <p>O espírito empreendedor dos responsáveis pelo Rio Festa gerou o desdobramento de outros negócios. Hoje, o Grupo Boa Diversão faz planos de abrangência nacional para divulgar os eventos noturnos das principais capitais brasileiras, além de vender os ingressos pela Internet ou através dos pontos-de-venda.</p> <p style="text-align: center;"><img class="foto_laranja_materias" title="Rio Festa: portal de entretenimento vira grande negócio" src="images/materias/Executivos_boa_diversão.jpg" border="0" alt="" width="550" height="367" /><br /><em>Os sócios: Bernardo Coutinho, Sergio Cinelli, Allan Sant'Anna e Bruno Abreu Amado</em></p> <p><span class="subtitulomateria">Permuta gera conteúdo e melhorias<br /></span>Assim como quem chega cedo em festas de aniversário, o Rio Festa começou a atuar de forma cautelosa, bem diferente da atual. De início o site realizava trabalhos de permuta e foi desta forma que Bernardo Coutinho e o Rio Festa se conheceram melhor. Coutinho atualizava o site em troca de ingressos para os eventos apoiados pelo Rio Festa até que a relação entre eles começou a ficar mais séria.</p> <p>Depois de assumir o conteúdo do site, Bernardo Coutinho foi responsável pela significativa melhora no serviço oferecido pelo site e o público percebeu isto rapidamente. “O que ainda faz muito sucesso e que as pessoas adoram são as notícias diárias do site”, conta Allan Sant'Anna, Diretor Comercial.</p> <p>Há cerca de dez anos, a notícia diária era uma das principais novidades no setor de festas na web. Além desta inovação, o Rio Festa foi pioneiro no sistema de fotos instantâneas nos eventos noturnos da cidade. Com o sucesso do sistema veio também o ônus. É comum a empresa receber ligações de usuários na segunda-feira pedindo para retirar sua foto do site devido a problemas com as namoradas. “Tiramos as fotos na mesma hora. Sem problemas”, afirma Allan Sant'Anna.</p> <p><span class="subtitulomateria">Central sustentável</span><br />Além de talento para o negócio, os sócios do Grupo Boa Diversão tiveram a ajuda da sorte no começo. Talvez pelo fascínio e os prazeres que a noite oferece, o Rio Festa ganhou um sócio estrangeiro que passeava pelo Rio de Janeiro na época. “O cara era milionário, estava empolgado, saía com a gente e falou que queria ser sócio”, diz Bruno Abreu Amado, Diretor de Ti do Grupo.</p> <p>A passagem do empresário pela sociedade não pode ser considerada apenas como uma paquera para o Rio Festa. O executivo deixou sua marca quando comprou uma central telefônica para a empresa, mas depois mostrou suas verdadeiras intenções com o negócio. “Depois que a Central chegou na empresa ele sumiu. Com ela a gente pôde fazer telemarketing para vender carteirinhas do Rio Festa”, explica Amado em entrevista ao Mundo do Marketing.</p> <p>A carteirinha dava descontos para os usuários em troca de uma mensalidade de aproximadamente R$ 30,00. O valor gerado para a empresa era usado para pagar a conta do telefone e assim o Rio Festa dançava conforme a música, até assumir o lugar de DJ.</p> <p><span class="subtitulomateria">A primeira festa a gente nunca esquece</span><br />Com um ano de vida era hora de comemorar. Adivinha o que o Rio Festa fez para celebrar o primeiro aniversário do site? Sim, uma mega festa. Segundo Bernardo Coutinho, Diretor Financeiro do Grupo Boa Diversão, a partir daquele momento a empresa começou a faturar realmente. “Desde então os donos ou gerentes de boates começaram a nos oferecer 10% do faturamento da casa em troca de divulgação no Rio Festa”, aponta Coutinho.</p> <p>Mesmo com o horizonte repleto de expectativas positivas para o negócio, esta fase foi marcada pelo número de calotes que o site recebeu. Com base na confiança e com pouca experiência em negociações, o Rio Festa gerava um grande público para as festas, mas elas não ofereciam o retorno e nem a renda referente ao combinado. “Os donos de boate falavam que o faturamento era X, mas na verdade era 4X. Até empresários conhecidos na noite já deram calote na gente”, revela Allan Sant'Anna.</p> <p>Desde então, os executivos do Grupo Boa Diversão passaram a tomar mais cuidado com os acordos. Com maior experiência no trato com os negócios, a empresa começou a faturar com anúncios e campanhas na Internet. Da permuta, a negociação passou a ser feita em valores modestos e hoje para veicular um banner no Rio Festa não custa menos de R$ 2 mil. “Isto aconteceu porque criamos muito acesso e temos credibilidade”, avalia Sant'Anna.</p> <p>Desde o começo a estratégia de Marketing do Rio Festa é direcionado aos flyers dos eventos. Todas as baladas divulgadas pelo site têm a marca da empresa nas filipetas. “Nos eventos que divulgamos tinham banners do Rio Festa e anúncios no rádio que diziam para acessar o site”, lembra Coutinho em entrevista ao site.</p> <p><span class="subtitulomateria">A procura pelo Ingresso Certo</span><br />Devido ao grande interesse dos usuários pelos ingressos das festas e informações sobre os eventos, o Grupo percebeu a necessidade de suprir esta demanda. “Pensamos na possibilidade de vender o ingresso, só que a gente tinha que desenvolver o sistema, que é caro”, explica Bernardo Coutinho.</p> <p>Foi então que Bruno Amado, Diretor de Ti, começou a desenvolver um sistema baseado nos que já havia no mercado. Não demorou muito para a marca Ingresso Certo tocar no ouvido dos produtores de eventos. Durante o processo de implantação, o Grupo percebeu que os produtores não acreditavam na ferramenta. Até que entrou em cena o jogo de cintura que ajudou a popularizar o novo produto. “O Allan (Diretor comercial do Grupo) falava para o produtor que ia dar um desconto na mídia do site caso ele fizesse as vendas de ingresso pelo Ingresso Certo”, diz Coutinho.</p> <p>Na medida em que as vendas aumentavam, o Ingresso Certo ganhava terreno e já caminhava confiante para a pista de dança. “Hoje em dia o Ingresso Certo representa 10% ou até mais nas vendas de ingressos de um evento e é essencial para o produtor que haja a venda on-line”, aponta o Diretor Comercial do Grupo Boa Diversão, que ressalta a importância do Rio Festa para a venda do Ingresso Certo.</p> <p>Com cerca de 500 mil page views por mês e 40 mil pessoas cadastradas, o <a href="http://www.ingressocerto.com" target="_blank">Ingresso Certo</a> é procurado hoje pelos produtores. “A audiência do Ingresso Certo é maior do que muitos concorrentes do Rio Festa. Hoje o usuário entra direto no Ingresso Certo e nem passa mais pelo Rio Festa”, conta Sant'Anna.</p> <p><span class="subtitulomateria">Ingresso na mão<br /></span>O passo seguinte do Grupo Boa Diversão não demorou muito tempo para acontecer. “Vimos que era a hora de começar a vender o ingresso fisicamente apesar dos dois anos de vendas on-line e do futuro estar atrelado ao meio on-line”, afirma Bruno Amado. Porém, para chegar ao futuro, é preciso percorrer o caminho do presente.</p> <p>Com o investimento de outras empresas do setor em ingressos instantâneos que saiam de máquinas como as de cartão de crédito, o Grupo Boa Diversão percebeu que perdia espaço, já que a concorrência estava vendendo algo a mais. “Fomos obrigados a partir para a venda de ingresso para não jogar fora todo o trabalho de dois anos do Ingresso Certo”, ressalta Amado em entrevista ao site.</p> <p>Esta ferramenta de vendas permite aos produtores controlar em tempo real o estoque e as vendas em qualquer ponto-de-venda, obter informações sobre lotes, cargas de ingressos, entre outras possibilidades. Após estudos sobre a melhor forma de implantar o sistema, o Grupo Boa Diversão colheu os frutos de um bom relacionamento no mercado. “O nosso sistema é mais aperfeiçoado. Com nove anos no mercado nos tornamos amigos dos produtores e percebíamos que as empresas não estavam atendendo bem”, conta o Diretor de Ti do Grupo.</p> <p><span class="subtitulomateria">Novos projetos<br /></span>Engana-se quem acha que eles pararam por aí. Sob o guarda-chuva do Grupo Boa Diversão, os sócios estão lançando um bar que será responsável pela materialização do projeto virtual. “Este bar é a ruptura do real com o virtual”, acredita Allan Sant'Anna. Localizado no Rio de Janeiro, no bairro da Lapa, o bar está em desenvolvimento e será um complemento para o Rio Festa. “Poderemos fazer telemarketing de acordo com os aniversários dos usuários cadastrados”, completa o executivo.</p> <p>O próximo passo do Grupo é levar o conceito que faz sucesso no Rio de Janeiro para todo o Brasil. Dentro de aproximadamente dois anos, a idéia é aplicar o modelo do Rio Festa em estados diferentes sob o nome Boa Diversão. “Assim teríamos o Boa Diversão São Paulo, Minas Gerais, entre outros”, informa Sant'Anna. Mas, no caso do Rio de Janeiro, a marca <a href="http://www.riofesta.com.br" target="_blank">Rio Festa</a> seria mantida devido ao reconhecimento do público com a marca.</p>


Publicidade