Reza um antigo ditado: “o que os olhos não veem, o coração não sente”. O que isso tem a ver com Marketing? Tudo. De acordo com o Inside Video 2023, estudo produzido pela Kantar IBOPE Mídia, que traz números sobre o consumo domiciliar de vídeo no Brasil, em 2022, as produções audiovisuais impactaram 99,6% da população.

O estudo analisou todos os tipos de tela, desde os aparelhos de TV – conectados ou não – até os smartphones, desktops e tablets. A análise dos dados indica algumas particularidades significativas entre os dispositivos utilizados, especialmente em relação à frequência de utilização: 78,7% do tempo do consumo domiciliar foram dedicados à televisão linear (TVs aberta e paga) e 21,3% a plataformas online. 

Somando as variáveis, o estudo indica que o tempo médio de consumo nacional é de 5h17min por dia assistindo à TV linear. As regiões metropolitanas do Rio de Janeiro (6h04min), São Paulo (5h39min) e Manaus (5h29min), ultrapassam a média do país. 

Favoritas do público, as TVs e as TVs conectadas, representam 90,4% do total de tempo consumido. Em seguida, aparecem os smartphones, com 7,6%, desktops (1,6%) e tablets (0,3%). 

Neste contexto, a relevância publicitária das TVs conectadas ganha força com a possibilidade de reprodução de vídeos online. Essa categoria de produção alcança 31,8% da população todos os dias, e chega a 61,1% na curva mensal. Adicionalmente, o estudo sugere que 56% dos usuários de serviços de streaming estão dispostos a aceitar peças publicitárias nas plataformas, sob a condição de barateamento do valor da assinatura.

Leia também: Mídia OOH tem maior eficiência e impacto na conexão entre marca e consumidor