Patrocínio esportivo: cuide de sua marca 3 de outubro de 2007

Patrocínio esportivo: cuide de sua marca

         

Patrocínio esportivo: cuide de sua marca

Publicidade

<p><strong>Patrocínio esportivo: cuide de sua marca</strong></p><p>Por Rafael Niro*</p><p>No início de agosto, os assinantes de TV a cabo acompanharam mais uma etapa do X-Games, realizado em Los Angeles, Estados Unidos. Considerada as olimpíadas dos esportes radicais, a competição tornou-se uma oportunidade única para se compreender como a relação atleta-patrocinador é tratada nos Estados Unidos, Canadá e Europa.</p><p>Num primeiro momento, alguns minutos em frente à TV foram suficientes para notar como as marcas dos patrocinadores eram expostas nos uniformes e equipamentos dos atletas. Parecia uma coreografia. Traçando um comparativo com o que ocorre no Brasil, o espectador tem que se esforçar muito para tentar descobrir quem apóia seu atleta predileto. O comprometimento com a marca do patrocinador costuma ser ínfimo, quase nulo. </p><p>A exemplo de atletas norte-americanos e europeus é evidente que atitudes previamente estabelecidas, adotadas por ambas as partes, fazem do esporte um segmento muito mais atrativo e rentável. A proximidade entre marca patrocinadora e atleta-modalidade é de extrema importância para que as oportunidades sejam trabalhadas de maneira otimizada.</p><p>Esta prática permite, inclusive, que os veículos de comunicação assegurem maior visibilidade à marca patrocinadora. Equipes e atletas dependem do apoio financeiro de empresas privadas para obter as mínimas condições de treinamento e a certeza de que irão participar das principais provas de suas categorias. Diante deste cenário, é fundamental que o patrocinado tenha a consciência de que estará representando uma marca, e até mesmo o grupo de pessoas que trabalham naquela empresa que o está apoiando. </p><p>Por outro lado, as empresas que buscam obter algum retorno através do esporte, precisam levar a sério o patrocínio esportivo. Conheço casos de empresas que enxergam o patrocínio como uma espécie de favor por apreço por determinado atleta ou modalidade. É preciso planejamento, pois são inúmeras as possibilidades que podem ajudar a empresa a atingir um índice considerável de exposição de marca. Entre as mais comuns, podemos citar a utilização dos produtos da marca – pelo atleta – em coletivas de imprensa, premiações e eventos sociais. O patrocinador também pode e deve cobrar atitudes do esportista apoiado, mas para isso há que se garantir condições para a utilização de seus produtos.</p><p>Outro fator importantíssimo é a presença dos responsáveis de marketing no dia-a-dia da equipe, uma vez que somente ao presenciar a competição pode-se desenhar a melhor estratégia de divulgação da marca. Não importa que modalidade ou atleta esteja sendo apoiado, não é aceitável que os atletas dêem entrevistas sem que a marca do patrocinador seja exposta ou mesmo flagrá-los com produtos de marcas diferentes das de seus investidores.</p><p>Se alguns cuidados forem tomados, a cobertura da mídia será bem maior e o mercado esportivo passará a ser mais atrativo para todos. A evolução do profissionalismo trará benefícios não só aos esportistas e patrocinadores, mas a todos aqueles que se relacionam com o esporte de alguma forma. A mídia cumprirá seu papel de divulgadora e os espectadores de fãs. Para isso, cada um deve vestir sua camisa e honrar o papel que desempenha. </p><p>* Rafael Niro é diretor da agência Atena Marketing Esportivo. E-mail: <a href="mailto:rafael@atenamktesportivo.com.br">rafael@atenamktesportivo.com.br</a></p><p><span class="texto_laranja_bold">Acesse</span><br /><a href="http://www.atenamktesportivo.com.br" target="_blank">www.atenamktesportivo.com.br</a></p>


Publicidade