Desde o início da pandemia do novo Coronavírus, a ConQuist Brasil vem conversando com dezenas de líderes para identificar como está a gestão de equipes durante a quarentena e como ficará depois dela. No dia 15, em uma conferência online com 85 líderes de diversos setores (Varejo, Logística, Saúde, Educação, Indústria, Telecom, Tecnologia, Energia, entre outros), realizei um levantamento sobre as principais práticas, preocupações atuais e futuras.

De forma objetiva são três as principais preocupações em relação à liderança de equipes:

– Cerca de 1/3 dos colaboradores estão sofrendo com a dificuldade de trabalhar remotamente.
– Os líderes, de forma geral, estão com dificuldades de lidar com essa realidade e compreender a emoção das pessoas.
– Os colaboradores estão precisando de mais feedback, maior assertividade e demonstrações mais claras de que as estratégias dos líderes são seguras para ultrapassar a crise.

Ao mesmo tempo em que os líderes estão sendo cobrados pelas equipes para serem mais efetivos durante a crise, por outro lado, os colaboradores precisam ser mais rápidos, adaptando-se à nova realidade para não prejudicarem os resultados das empresas.

Por isso, neste momento de isolamento social, onde a maioria dos colaboradores estão trabalhando em regime de home office, recomendo alguns cuidados para os funcionários:

– Deve haver um esforço do colaborador para resgatar projetos cruciais da empresa que foram simplesmente interrompidos com a crise, por não conseguirem administrá-los a distância.

– A inteligência emocional aliada à assertividade e à disciplina para trabalhar à distância são três características que devem ser priorizadas pelos colaboradores, para se tornarem imprescindíveis nesse momento de crise.

– Outro aspecto que precisa ser cuidado, é o colaborador ter atitudes mais eficazes nas reuniões a distância, como por exemplo, saber a hora de falar, postura, cuidados com o som e com a imagem, utilizar o vocabulário certo e não se distrair nos encontros online.

Além dessas dicas para o momento atual, a pandemia está levando executivos a refletirem sobre os próximos meses, com objetivo de identificar como ficará a gestão de equipes depois da quarentena. Com certeza, o universo empresarial não será mais o mesmo após esta experiência de ter que priorizar, de uma hora para outra, o trabalho remoto como única forma de dar continuidade às atividades e continuar operando.