Se 10 em cada 10 eventos em 2022 o tema central girava em torno do Metaverso, este ano a estrela da vez é a Inteligência Artificial e não está sendo diferente no Web Summit Rio 2023. Por isso, a única palestra do evento inteiro sobre Metaverso no seu tema central rendeu alguns insights importantes.

Veja a seguir o que você precisa saber sobre o Metaverso nas opiniões de Bozena Rezab, Co-founder & CEO da Gamee, Solo Ceesay, Co-founder & CEO, e Calaxy, e Silvina Moschini, Founder, Chairwoman & President da Unicoin.

O Metaverso já está acontecendo no universo dos games, por exemplo. E isso não é pouca coisa, como muitos acreditam ao reduzirem o Metaverso aos games. Primeiro pelo volume de potenciais consumidores. No Brasil, 74,5% das pessoas são adeptas a jogos eletrônicos, aponta a pesquisa Game Brasil. Segundo, pelo montante que este mercado movimentou em 2022, quase 200 bilhões de dólares, de acordo com o mesmo levantamento.

Embora haja um frisson sobre o investimento também bilionário da Meta na tecnologia, o Metaverso vai acontecer com ou sem a empresa de Mark Zuckerberg. A própria natureza do Metaverso explica esse raciocínio ao ser descentralizado, utilizando como base a Web3, especialmente no quesito de tokens para fazer as transações monetárias.

Mas por que o Metaverso ainda não decolou para outros mercados? Por conta dos devices tecnológicos necessários para se obter uma experiência imersiva ainda não serem acessíveis e os próprios ambientes no Metaverso ainda se parecerem com o finado Second Life. Mas tudo isso vai evoluir junto com os consumidores dos games que hoje ainda são em sua maioria jovens.

Com uma experiência imersiva massificada, o que não aconteceria antes de 10 anos, o Metaverso seria um grande aliado do E-commerce, do Entretenimento, da Educação e até da Medicina. A nova geração já tem nos games a interação com o Metaverso como algo muito natural. Hoje eles ainda tem no máximo 25 anos, mas, daqui a pouco, essa tecnologia será natural para eles.

A aposta dos especialistas é de que o Metaverso seja a nossa extensão real do digital. Será o virtual se tangibilizando. Nem tudo que está sendo criado permanecerá, assim como nascerão novas formas para interagir no Metaverso e, claro, ganhar dinheiro como já fazem influenciadores digitais. Quem ficar 100% fora dessa tendência também não terá parte nos resultados do futuro.

Leia também: Quais são os prós e os contras sobre a evolução da Inteligência Artificial?