O que esperar do chatbot GPT no Marketing Bruno Mello 18 de abril de 2023

O que esperar do chatbot GPT no Marketing

         

Nayara Anzolin analisa possibilidades da ferramenta na área e afirma que inovação não deve substituir os profissionais

Publicidade

A Inteligência Artificial já é uma realidade em nosso dia a dia. Ela marca os nossos compromissos, nos atualiza sobre os principais acontecimentos do mundo, vai das organizações mais complexas até para as mais simples, como escolher as músicas de acordo com a preferência de cada usuário. Aos poucos, o que parecia distante, passou a fazer parte do nosso cotidiano, e humanos e robôs já têm convivido muito bem.

No mundo dos negócios não seria diferente. As empresas perceberam o quanto a IA poderia deixá-las bem mais competitivas e com serviços e produtos de mais qualidade, além de tirar seus colaboradores de funções totalmente mecânicas e colocá-los em áreas mais estratégicas.

A IA revolucionou a maneira de pensarmos, agirmos e convivermos. Entretanto, ainda há muito para falarmos sobre ela e o que ainda pode fazer em nossas vidas. Nos últimos meses, por exemplo, a chegada do Chatbot GPT ( e de outras IA’s) deixou o debate mais quente sobre o tema.

Afinal, precisamos entender se essa nova ferramenta irá nos salvar, nos substituir ou fazer com que apenas sobrevivamos a ela. O exemplo mais comum é o Chatbot GPT, que foi criado por um laboratório de pesquisas em inteligência artificial dos EUA chamado OpenAI. O nome se refere a sigla de “Generative Pre-Trained Transformer” – se traduzirmos ficaria “Transformador pré-treinado generativo”.

A ferramenta é capaz de realizar infinitas tarefas, desde escrever artigos, notícias e redações escolares até criar códigos inteiros de programação ou ajudar a encontrar erros e bugs, traçar estratégias de vendas, compor músicas, produzir teses acadêmicas e diversas outras utilidades que seria impossível descrever neste artigo.

O chatbot GPT é um grande auxílio para automatizar tarefas rotineiras do marketing, como fazer pesquisas de mercado, gerar um texto otimizado para SEO e até mesmo criar descrição de produto. A ferramenta permite ainda escrever textos de diferentes gêneros, fazer traduções em vários idiomas, responder questionamentos e até mesmo resolver problemas lógicos.

Com tantas funcionalidades disponíveis, os profissionais de marketing precisam avaliar e entender melhor todos os recursos do sistema para usar em suas estratégias, já que se trata de uma alternativa viável e que pode trazer inúmeros benefícios para o setor. Além disso, o Meta e Google já anunciaram projetos semelhantes, por isso, precisamos estar de olho nos impactos que o chatbot GPT pode trazer para o nosso meio.

É bem possível que a experiência do consumidor seja mais satisfatória e os resultados do marketing apareçam de maneira mais positiva. Portanto, as empresas que souberem unir inteligência humana com inteligência artificial, certamente, serão bem-sucedidas.

A tecnologia não substitui as atitudes humanas

Toda tecnologia recém-chegada causa uma série de estranhamento e traz inúmeras discussões sobre os impactos dela em nossa vida. De início, qualquer ferramenta que entre em nosso meio gere algum tipo de benefício para a sociedade e nos “salve” de burocracias, certamente é vista como o mocinho da história.

O fato é que o Chatbot GPT é uma ferramenta que vai ganhar notoriedade e será indispensável nas empresas. Mas será preciso treiná-lo para que ganhe seu real valor e possa ser incrementado nas estratégias dos negócios de maneira confiável.

Sozinha, essa tecnologia não conseguirá cumprir seu papel, já que a interação humana é necessária no marketing. Mas quando usada pelo time para traçar estratégias, pode trazer resultados positivos e se tornar indispensável na comunicação.

*Nayara Anzolin é Head de Marketing da Paschoalotto


Publicidade