<p class="MsoNormal" style="text-align: justify; line-height: normal; margin: 0cm 0cm 0pt; mso-layout-grid-align: none"><span style="font-family: "><img alt="" align="right" width="300" height="232" src="/images/materias/Blog%20Beth/aconchego.jpg" />O capitalismo e a competição dos tempos modernos impuseram à humanidade diversas concessões. Uma delas foi a da sensibilidade. Seu espaço foi ocupado pela razão e pela visão analítica do mundo. A expressão “sensível” foi confinada ao universo pessoal (e para alguns nem a ele), ao universo feminino (e na disputa da competição do trabalho, muitas deixaram sua cota no caminho…) e a determinadas disciplinas ditas humanas. </span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align: justify; line-height: normal; margin: 0cm 0cm 0pt; mso-layout-grid-align: none"> </p> <p class="MsoNormal" style="text-align: justify; line-height: normal; margin: 0cm 0cm 0pt; mso-layout-grid-align: none"><span style="font-family: ">Sensibilidade quer dizer: “faculdade de sentir; propriedade do organismo vivo de perceber as modificações do meio externo ou interno e de reagir a elas de maneira adequada.”. Sua ausência no universo de decisões leva a respostas inadequadas ao meio. Simples assim. </span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align: justify; line-height: normal; margin: 0cm 0cm 0pt; mso-layout-grid-align: none"> </p> <p class="MsoNormal" style="text-align: justify; line-height: normal; margin: 0cm 0cm 0pt; mso-layout-grid-align: none"><span style="font-family: ">Nos últimos anos, diversas tendências demonstraram que sua aplicação é geradora de resultados. O advento do design como elemento de diferenciação em embalagens, produtos e lojas. O conceito da experiência de compra e sua capacidade de atrair consumidores. O atendimento em lojas, call centers e relações B2B gerando fidelização e vínculos com as marcas. E a conscientização da relevância da inteligência emocional como fator essencial em gestores de qualquer negócio para conseguir melhores resultados por meio de pessoas motivadas.</span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align: justify; line-height: normal; margin: 0cm 0cm 0pt; mso-layout-grid-align: none"> </p> <p class="MsoNormal" style="text-align: justify; line-height: normal; margin: 0cm 0cm 0pt; mso-layout-grid-align: none"><span style="font-family: "><o:p></o:p></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align: justify; line-height: normal; margin: 0cm 0cm 0pt; mso-layout-grid-align: none"><span style="font-family: ">Em todas essas situações, há sem dúvida muita técnica envolvida (razão, análise e tal…), mas sensibilidade é seu agente dileto. Precisamos resgatar ternura, simpatia, empatia e compaixão por dois motivos. Primeiro, porque nos torna melhores profissionais e marcas, mais antenados com a epidemia de carência afetiva de nossa época. Portanto, mais eficientes em nossa resposta ao meio e ao que nos pedem nossos consumidores. E também porque somos humanos, em desuso com a característica que nos define. Sensibilidade é, portanto, um ativo e uma inspiração para estabelecer conexões e entregar o aconchego que tantas pessoas anseiam.<o:p></o:p></span></p>