Marketing de Guerrilha já é realidade em empresas no Brasil 18 de junho de 2008

Marketing de Guerrilha já é realidade em empresas no Brasil

         

Coca-Cola, Vivo e FOX desenvolvem ações de guerrilha e investem muito menos do que você pensa

<p class="titulomateria">Marketing de Guerrilha já é realidade em empresas no Brasil</p> <p>Por Bruno Mello<br /><a href="mailto:bruno@mundodomarketing.com.br">bruno@mundodomarketing.com.br</a></p> <p><img class="foto_laranja_materias" style="float: left;" title="Marketing de Guerrilha já é realidade em empresas no Brasil" src="images/materias/materia_guerrilha_seminario.jpg" border="0" alt="" width="147" height="236" />As empresas que atuam no Brasil começam a colocar o Marketing de Guerrilha em seu planejamento estratégico. Só a Coca-Cola já realizou cinco ações com a agência especializada Espalhe, que também desenvolveu projetos para a Warner e para a Brastemp neste ano.</p> <p>A Vivo é outra grande marca que entra nesta lista, desta vez com ações desenvolvidas pela Bitura Midias Mirabolantes. Até empresas no setor farmacêutico, como a EMS, já usam deste expediente para conquistar novos consumidores para o Energil C. “O negocio é gerar o boca-a-boca e fazer as pessoas falarem da sua marca”, afirma Gustavo Fortes (foto), sócio-diretor da Espalhe.</p> <p>O fato de chamar atenção do consumidor é o grande trunfo do Marketing de Guerrilha, uma vez que, todos sabem, é cada vez mais difícil ter trinta segundos do tempo das pessoas hoje em dia. Por isso, a FOX colocou 140 pessoas na Avenida Paulista algemadas em postes, pontos de ônibus e placas e outras 60 algemadas na Avenida Luis Carlos Berrini, em São Paulo.</p> <p>Depois, foram 48 atores que representaram uma perseguição entre polícia e bandido nos parques Ibirapuera e Villa Lobos. Tudo isso para divulgar a minissérie 9MM: São Paulo, a primeira produzida integralmente no Brasil e que conta a realidade da polícia de São Paulo.</p> <p><span class="subtitulomateria">Guerrilha na Internet<br /></span>Já a Whirpool fez parceria com o site Camiseteria.com para desenvolver estampas personalizados para os microondas da linha MAXI da Brastemp. Assim como acontece com a marca de camisetas, no site paródia Microonderia o consumidor pode desenvolver e publicar estampas de adesivos eletrostáticos para microondas.</p> <p>Os criadores das duas artes que receberem o maior número de votos de outros internautas verão sua obra comercializada separadamente, como acessório em todo o Brasil e receberão prêmios. É o conceito web 2.0, grande aliado do Marketing de Guerrilha. Com a ação, que promove o produto, a marca já possui 100 sugestões de adesivos e milhões em retorno de mídia espontânea na imprensa.</p> <p>Geralmente os projetos de Marketing de Guerrilha demandam menos investimento que as ações tradicionais. “O investimento é menor e tem um resultado maior”, afirma Fortes. A meta é criar um conceito inusitado, com a Coca-Cola. A marca furou a língua das pessoas com um piercing da marca. Foram quase 300 pessoas usando a marca Coca-Cola na língua. “A pessoa furava a língua de graça e tirava uma foto para divulgar”, diz o sócio-diretor da Espalhe.</p> <p><span class="subtitulomateria">Cuidados com o boca-a-boca</span><br />O maior cuidado nestas ações, por exemplo, é controlar todas as variáveis porque ninguém domina o boca-boca. No caso da Coca-Cola, só foram utilizados piercing de titânio e estúdios com certificado de qualidade. Outra atenção é com o prazo. Como no Brasil as coisas sempre são para ontem, os clientes sempre passam prazos curtos. E até nisso o Marketing de Guerrilha tem vantagem, pois em 40 dias é possível fazer o planejamento e viabilizar uma ação.</p> <p>Mais uma atenção: o Marketing Viral, uma das ferramentas usadas na Guerrilha, não é fazer filme engraçado. “Nós colocamos fogo nesta história. Acreditamos na espontaneidade. É passar as coisas pela frente. O nosso desafio é descobrir coisas que as pessoas passem para frente”, ressalta Gustavo Fortes.</p> <p>O especialista e um dos pioneiros do Marketing de Guerrilha é um dos palestrantes do III Seminário Marketing 360º. O evento também terá palestra de Rafael Liporace, sócio-diretor da Biruta. O seminário acontece nos dias 26 e 27 de junho no Rio de Janeiro e tem patrocínio da Sun/MRM, TNS InterScience, Dinamize e Copernicus Marketing. <a href="../seminario.asp" target="_blank">Saiba mais</a>.</p>