Louis Vuitton, Inspiração ou Cópia? 9 de outubro de 2009

Louis Vuitton, Inspiração ou Cópia?

Publicidade

<p style="text-align: justify"><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">No meio de uma semana de maratona fashion, em casa, na hora de relaxar, vou folhar minha última aquisição, a obra  <b>“ Vogue, Fotografias de Moda  de 1920 - 1980” </b>publicado nos anos 80, uma edição rara. O livro todo em preto e branco é lindo e as fotos desfilam com poesia, tão diferente das imagens atuais onde perfeitas e robóticas top models “su-reais” retocadas no photoshop tentam nos convencer de sua beleza natural. </span></p> <div style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">E ao chegar da década de 40, tive uma surpresa! Uma foto me chamou atenção. Será somente inspiração?</span></div> <div style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">Pois a “inspiração”, para sermos delicados, eu publiquei neste blog, na minha “estréia”,  meu primeiro post,  em 18 de junho, onde entrevisto o conselheiro de luxo, <a target="_blank" href="http://www.mundodomarketing.com.br/9992,69,blogs,a-morte-do-bling-bling.html"><strong><span style="color: #ff6600">Jean-Jacques Picart</span></strong></a>, braço direito de Bernard Arnauld (LVMH).</span></div> <div style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt"><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">                          <img alt="" style="width: 352px; height: 442px" src="/images/materias/vogue.jpg" />    </span></span></div> <div style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"> </div> <div style="text-align: center; margin: 0cm 0cm 10pt"><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt"><img alt="" style="width: 373px; height: 364px" src="/images/materias/espace(1)(1).jpg" /></span></div> <div style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">O material eu recebi no dossiê de imprensa durante a inauguração da megastore Champs Elysées, onde fotos “inéditas” o chamado Alphabet Concept – de VANESSA BEECROFT reescreviam a toda a palavra Luis Vuitton. (o exemplo acima é somente o logo).  Achei divina a idéia, sofisticada e poética. Hoje, prefiro a original, <b>Vogue, de 1940</b> feita pelo célebre Horst. As meninas não estão nuas, mas a primeira idéia sempre é melhor não? </span></div> <div style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"><b><u><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">Observação pessoal</span></u></b><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">. Mesmo 60 anos depois, “inspirações” da fonte executadas de maneira “idêntica”, da minha parte, sobretudo em campanha de publicidade, depõe enormemente contra a imagem da  marca. Aqui, qualqer semelhança <b>não</b> é mera coincidência.</span></div>


Publicidade