<p style="text-align: center;"><img height="365" width="550" src="/images/materias/LV.jpg" alt="" /></p> <div style="margin: 0cm 0cm 10pt;"><span style="background: white none repeat scroll 0% 0%; -moz-background-clip: border; -moz-background-origin: padding; -moz-background-inline-policy: continuous; color: black;"><font face="Calibri"> <div style="text-align: center;"><span style="font-family: 'Calibri','sans-serif'; font-size: 14pt;">Louis Vuitton em crise… de estoque!</span></div> </font></span><span style="background: white none repeat scroll 0% 0%; -moz-background-clip: border; -moz-background-origin: padding; -moz-background-inline-policy: continuous; color: black;"><font face="Calibri"><br /> <div style="text-align: justify;"><span style="font-family: 'Calibri','sans-serif'; font-size: 11pt;">O mercado da moda é verdadeiramente surpreendente. Se uns lutam para vender mais, outros utilizam estratégias para frear as vendas. Já faz mais de um mês que a estrela de bolsas e malas havia tomado à decisão de fechar todas suas lojas na França uma hora antes do horário normal, com exceção apenas para corners em grandes magazines que seguem horários distintos. </span></div> <div style="text-align: justify;"> </div> <div style="text-align: justify;"><span style="font-family: 'Calibri','sans-serif'; font-size: 11pt;">O motivo – ruptura de estoque – mesmo com todas suas usinas em capacidade máxima de produção. e com medo de ficar completamente sem artigos para o mês de dezembro, a famosa marca do grupo LVMH não teve outra escolha: aumentar preços e fechar as lojas mais cedo. Hoje encontrei uma amiga que trabalha no grupo e perguntei como anda a empresa - “um stress, em plena crise… crise de falta de produto”, ela concluiu.</span></div> <div style="text-align: justify;"> </div> <div style="text-align: justify;"><span style="font-family: 'Calibri','sans-serif'; font-size: 11pt;">Somente no mês de julho, a LV anunciou um lucro liquido de mais de 53% no primeiro semestre graças a vendas de suas bolsas míticas. O grupo sai na frente de outros como Richemont, Hermès e Chanel. Para suprir a demanda, os ateliers Vuitton funcionam em capacidade máxima em suas onze usinas francesas responsáveis pela fabricação de quase a totalidade de seus produtos. Para tentar acompanhar as vendas, a marca contratou neste ano 320 especialistas em bolsas e malas e vai abrir uma nova fábrica na região de Drôme no primeiro semestre de 2011.</span></div> <div style="text-align: justify;"><span style="font-family: 'Calibri','sans-serif'; font-size: 11pt;"> </span></div> <div style="text-align: justify;"><span style="font-family: 'Calibri','sans-serif'; font-size: 11pt;">Se a forte demanda para este ano surpreende Vuitton, a marca já havia começado no primeiro semestre a impor uma quota máxima de produtos a seus clientes na intenção de proteger seus estoques e lutar contra o contrabando - máximo duas bolsas de couro por pessoa, o que levou muitos amigos estrangeiros me ligarem pedindo SOS compras… </span><span style="font-family: 'Calibri','sans-serif'; font-size: 11pt;">Quem pode, pode…</span></div> </font></span></div>