Muito se fala em Marketing nas redes sociais “convencionais”, como Instagram ou Facebook, por exemplo. Agora, o LinkedIn também desponta como uma plataforma interessante para marcas exibirem publicidade paga. Assim como toda rede social, o LinkedIn também possui suas particularidades e, por ser um canal relativamente novo quando se trata de anúncio, muitas dúvidas podem surgir. 

Com tanta concorrência, é fundamental que as marcas explorem novos espaços para seus anúncios. Porém, não dá para simplesmente fazer uma adaptação de uma peça de uma rede para outra, afinal, cada plataforma tem suas características. Segundo Miguel Caeiro, Head Latam na VidMob, é preciso pensar estrategicamente no formato que faz mais sentido tendo em mente qual objetivo sua marca quer atingir.

A VidMob analisou 16,7 mil anúncios e 804 milhões de impressões de marcas que exibiam publicidade paga no LinkedIn. Quando eram de topo de funil, os principais insights foram em relação à duração do vídeo. Segundo o levantamento, exibir mensagens no primeiro quadro do vídeo resultou em um aumento de 149% para a métrica view through 25%, que é a taxa de visualizações de até 25% da sua duração. Independentemente da mensagem ser mais emocional ou funcional, o importante é que ela cubra todo o enredo no início do anúncio. A VidMob identificou também taxas de engajamento 54% maiores quando o vídeo tem de 7 a 15 segundos.

No meio do funil, quando o público está mais familiarizado com a marca, os anúncios que abriam com dados e ou estatísticas impactantes tiveram um aumento de 39% na taxa de visualizações até o final do vídeo. Além disso, houve um crescimento de 100% na taxa de cliques ao usar a palavra ‘Especialista’ ou ‘Líder’ no texto nos quadros de abertura.

Já no fundo do funil ou conversão, houve um aumento de 17% na taxa de cliques ao apresentar o logotipo da marca nos primeiros dois segundos e de 72% ao usar sobreposições de texto. O levantamento também mostrou que a taxa de cliques foi maior quando o anúncio tinha um “call to action” – chamada para ação. Houve crescimento de 12% na taxa de cliques com o ‘inscreva-se’ e de 7% com o ‘saiba mais’.

Além de todos esses detalhes mais “técnicos” que podem contribuir bastante para melhorar o desempenho dos anúncios no LinkedIn, o estudo também concluiu que pode ser muito interessante para um criativo criar uma conexão emocional com o consumidor com base em uma história pessoal. Assim, o talento (ator que participa do anúncio) deve ter um estilo bem fiel à marca. Por isso, teste interações de produtos, estilos de depoimentos e filmagens com pessoas que usariam seus produtos/serviços.

Leia também: Creator Economy: a nova era muito além da “publi”