No Brasil desde 1990, o clube de compras Sam’s Club busca consolidar sua presença virtual para conquistar associados no universo digital. Para isso, a empresa entregou à Cadastra a missão de mapear uma base de mais de 100 milhões de pessoas – um esforço bem-sucedido por sua natureza data-driven. No segundo episódio do Workshop Mundo do Marketing, Mariana Fernandes, Media Manager da Cadastra, elencou as etapas que levaram ao crescimento dos leads digitais do clube de assinatura.

O primeiro passo, segundo a Media Manager, foi a avaliação do vasto volume de dados coletados pela Sam’s Club no mundo físico. Analisando-os e trazendo-os aos canais digitais, a Cadastra obteve insights valiosos para o começo do trabalho. “Importando dados offline para os canais digitais, conseguimos evoluir nas análises 360, entendendo e cruzando as informações dos dois mundos. Isto trouxe resultados extremamente positivos”, conta.

De fato, a parceria entre Sam’s Club e Cadastra, que envolveu a integração entre as duas partes em um modelo de trabalho em squads, aumentou em 50% o número de sócios adquiridos pelo clube através do digital, elevou em 10 pontos percentuais a escala das nossas campanhas de mídia e levou a um crescimento de 105% em novos leads gerados nos canais virtuais.

Para Mariana, a obtenção de tais resultados foi proporcionada pelo protagonismo conferido aos dados. “Quando começamos o projeto, tínhamos uma pessoa alocada só para ler essas informações e organizar as estruturas. Assim, conseguimos evoluir tanto em relatoria quanto nas ferramentas utilizadas. Isso foi fundamental. Analisar os dados, entender quais eram os gaps e entender o que dava certo”, prossegue.

A leitura das informações coletadas pelo Sam’s Club ao longo dos anos permitiu à Cadastra estruturar uma estratégia digital eficiente, com comunicações pertinentes aos grupos identificados na base de assinantes do clube. “Buscamos entender quem são essas pessoas para definir as principais segmentações e quais comunicações funcionam melhor em cada um destes cenários. Hoje, sabemos qual é o melhor canal para a nossa estratégia e quais são as melhores abordagens, temos um caminho, mesmo sabendo que precisamos nos reinventar, com base nos dados e resultados, porque o que dá certo hoje, pode não dar certo amanhã”, finaliza a Media Manager.

Leia também: Dados e tecnologia, não há como fugir

Mariana Fernandes Workshop Cadastra