É reta final de 2023, as decorações de Natal já dominam os espaços de comércio em todo o mundo e três datas super estratégicas para o varejo estão batendo na porta: Black Friday, Cyber Monday e Natal. Mas o que elas têm em comum? São as responsáveis por acelerar as vendas em diversos setores e fazem com que as campanhas tenham que se reinventar ano a ano.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Google, mais de 67% dos brasileiros pretendem fazer compras na Black Friday no Brasil no dia 24 de novembro, desse total, 70% pretendem gastar mais do que em 2022. Ainda segundo essa mesma pesquisa, as buscas geradas pelos consumidores online indicam que as compras se iniciam na Black Friday e se estendem entre Cyber Monday, pagamento do 13º salário, Natal, Saldos e Ano Novo. Então, como pescar esse consumidor que já tem a cultura da pesquisa para compra?

O mercado, que prevê mais de 15 bilhões de reais em vendas só na Black Friday (Dados da Abecs – Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços), precisa ter o radar ligado para não escorregar em estratégias enganosas. Neste aspecto, considerar a experiência do cliente (CX) é fundamental.

A análise de dados de comportamento do consumidor sugere que campanhas de marketing lançadas dias antes da Black Friday e Cyber Monday têm mais impacto do que aquelas divulgadas no próprio dia, nada novo até aqui, certo? A diferença é que 2023 pode ser o ponto de virada para as datas que não tiveram grande sucesso de venda nos últimos dois anos.

Isso porque este ano o consumidor está mais confiante e pretende gastar mais do que em anos anteriores, segundo pesquisa Datafolha. Por isso, ofertas agressivas são cruciais, são elas que podem fidelizar o cliente e torná-lo uma mais valia para o varejo. Além disso, é essencial criar uma experiência omnichannel, já que esses consumidores transitam entre o on-line e offline.

O Brasil está entre os países que mais investem em programas de fidelidade com uma taxa de satisfação de 46%, uma das mais altas do mundo. Segundo o The Loyalty Report 2023, os consumidores são mais propensos a alinhar e construir relacionamentos com marcas com as quais compartilham valores semelhantes.

Muitos programas de fidelidade ainda não incorporaram mecanismos baseados em valores em sua experiência, mas o desejo por programas que demonstrem alinhamento entre o valor do membro e o valor da marca é uma oportunidade para resultados de negócios.

Por isso, quando a interação com o cliente promove a participação constante e estabelece conexões mais profundas, a lealdade surge como uma consequência direta. Acreditamos que a fidelidade vai além da simples transação de compra e ultrapassa a mecânica dos pontos de recompensa. Quem compra e sai satisfeito da Black Friday, volta a comprar no Natal, tudo depende do sucesso da estratégia de retenção do cliente.

Aqui na Roda Trade nossa inteligência de trabalho é circular, identificamos a dor do cliente e traçamos a melhor estratégia de forma personalizada. Isso faz com que os projetos B2B e B2C sejam vantajosos para todos os envolvidos, de ponta a ponta.

*Tati Wong é diretora executiva da Roda Trade, agência de dados e marketing de relacionamento da Holding Clube. Com uma trajetória de mais de 20 anos no mercado de experiências, a executiva, que é pós-graduada e especialista em comunicação, foca sua posição na execução de projetos de loyalty, incentivo, promoção e CRM.