Atraindo cada vez mais curiosos e entusiastas em busca de uma oportunidade para trabalhar na internet, o Marketing Digital se destaca como uma das mais relevantes camadas para o Marketing moderno.

Em 2023, ano que marca o início do período pós-pandemia, o faturamento previsto para o e-commerce é de cerca de R$185 bilhões – o mais alto montante alcançado pela modalidade em toda a sua história, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm).

Naturalmente, marcas e empresas não estão alheias a este potencial histórico, e por isso, estão desenvolvendo estratégias de Marketing Digital cada vez mais sofisticadas para fortalecer a presença no mundo virtual e garantir o acesso aos consumidores em um número cada vez maior de canais.

Ao Clube Mundo do Marketing, algumas das principais empresas brasileiras trouxeram insights sobre o trabalho realizado para impulsionar o Marketing Digital do ponto de vista estratégico e expuseram os resultados destes esforços.

Natura aposta no poder da influência

Das telas da TV para as telas dos smartphones, notebooks e tablets, as celebridades brasileiras ocupam espaços relevantes no Marketing de Influência e se destacam pelos notáveis índices obtidos em termos de engajamento. Não é pra menos: afinal, 92% dos brasileiros admitem que aplicam frequentemente os conselhos dados por influenciadores.

De olho no poder da influência, a Natura vem desenvolvendo estratégias de Marketing Digital que se apoiam firmemente na figura tanto dos influencers digitais, que dialogam com públicos menores e mais específicos, quanto em algumas das mais famosas celebridades do país, expandindo de forma eficiente o escopo do alcance digital.

Se, de um lado, o rol de influenciadores da marca conta com o peso de nomes consagrados, como a atriz Taís Araújo, do outro, a empresa não abre mão da surpresa e convida influencers menos conhecidos a se juntarem ao time. “Temos experiências com influenciadores que vieram por conta própria e nos surpreenderam com o resultado alcançado. Quando isso acontece, nos aproximamos e fechamos uma parceria de longo prazo”, afirmou Denise Coutinho, Diretora de Marketing da Natura, durante bate-papo com o Clube Mundo do Marketing.

Contando com o impulso dos influencers, a empresa consegue abordar de forma mais concisa alguns dos tópicos e valores que caracterizaram a identidade Natura ao longo dos anos. “As redes sociais fizeram muito bem para a gente. Muitos influenciadores estão levantando essa temática, de esquecer essa perfeição ditada pelo corpo e pelo cabelo e abraçar a aceitação para nos tornarmos mais felizes quanto a quem realmente somos”, refletiu a Diretora.

Do porta a porta ao digital: a transformação da Herbalife

Para a Herbalife, a transição entre as atividades físicas e as digitais ocorreu, em maior escala, em função da natural evolução descrita pelo avanço das tecnologias digitais. Neste panorama, os catálogos em brochura deram lugar aos catálogos digitais, e as portas das casas dos clientes foram substituídas pelos perfis nas redes sociais.

Embora a transformação digital sofrida pelo modelo de vendas diretas tenha descaracterizado o modus operandi que se tornou parte da identidade da Herbalife, as novas oportunidades geradas pelo Marketing Digital se provaram boas o bastante para compensar as perdas.

Inserida em uma nova realidade, a empresa investiu na criação de jornadas de venda personalizadas para atender a três públicos distintos – consultores independentes, nutricionistas e nutrólogos e consumidores e clientes premium – com estratégias de comunicação e relacionamento específicas para cada tipo de público.

Além disso, os canais digitais extrapolaram o alcance dos consultores da marca, que antes da transformação, se encontravam limitados às próprias cercanias. “Muitos consultores têm conexão pessoal com os clientes por vias digitais. Se você for pensar, a rede de um distribuidor é a própria rede social, porque abrange seu círculo imediato”, pontuou o Diretor Geral da Herbalife Nutrition, Jordan Rizetto.

Bagaggio e o recomeço no mundo digital

Não é segredo que mesmo as empresas mais tradicionais e bem-sucedidas não estão imunes ao poder do imprevisto. Um bom exemplo disso é a Bagaggio, que 80 anos após a fundação, teve de se reinventar para se encaixar no universo virtual e sobreviver à pandemia.

O desenvolvimento e a aplicação de boas estratégias de Marketing Digital não apenas permitiram a continuidade da octogenária operação, como também contribuíram para o seu fortalecimento. No auge da solidificação da presença digital, que foi impulsionada pelo desenvolvimento de um novo site, nos moldes do e-commerce moderno, a Bagaggio viu o faturamento nas vendas digitais subir de 1,5% para 22%.

 

Para isso, a empresa analisou atentamente o comportamento dos consumidores nos canais físicos para, então, encontrar formas de atendê-los nos canais digitais. “No mundo físico, os clientes querem ver detalhes da mala para pensar em formas de organizar a bagagem, e no nosso antigo site, tínhamos apenas fotos das malas fechadas. Por isso, durante a transição, passamos a apresentar fotos e vídeos dos nossos produtos, especificando detalhes como as dimensões de cada um”, explicou o CEO da Bagaggio, Filipe Barbosa.

O recomeço da Bagaggio aponta, também, um detalhe bastante específico: a contribuição dos canais físicos para as estratégias de Marketing Digital. “As vendas digitais são muito fáceis em locais onde temos lojas físicas. Primeiro porque temos um estoque avançado na região do consumidor e, segundo, porque o brasileiro é desconfiado e acredita muito mais na existência, na capacidade de entrega, na qualidade e no pós-venda de uma marca que está bem ali, no bairro dele”, pontuou o CEO.

Venha para o Clube e faça parte da conversa!

Clube Mundo do Marketing

Leia também: Data Driven Marketing Digital: como gerir projetos de Marketing com base em números