5 tendências para o consumo de alimentos em 2023 Bruno Mello 29 de dezembro de 2022

5 tendências para o consumo de alimentos em 2023

         

Apoiada pelo estudo Consumer Insights, publicado pela Kantar, a Sealed Air mapeou os movimentos que deverão impactar o mercado alimentício

Publicidade

Alta de preços e redução do poder de compra ditam a nova realidade do consumidor brasileiro. O comportamento dos clientes ante às novas circunstâncias impostas pela economia do país deverá trazer para a indústria de alimentos alguns desafios em 2023. Pensando nisso, a Sealed Air mapeou cinco tendências para o consumo de alimentos no ano que vem.

1 – Compras de alimentos por diversos canais
Segundo Ulisses Casson, vice-presidente da Sealed Air na América Latina, marcas que reconhecerem a importância do investimento em embalagens eficientes em qualquer canal, diversificando as opções do cliente na hora da compra – seja na gôndola ou no carrinho do e-commerce – terão um grande diferencial e sairão na frente da concorrência.

2 – Maior procura por hambúrguer e demais embutidos
Segundo o estudo Consumer Insights, publicado pela Kantar Worldpanel Division, o brasileiro está comprando menos unidades cada vez que vai ao mercado. Nesse cenário, a maior variação de gastos na cesta de perecíveis faz com que opções proteicas como o frango, por exemplo, abram espaço para outras proteínas, como embutidos e hambúrguer.

3 – Compras fragmentadas e carrinhos de compra menores
Novamente, o desejo de evitar o desperdício aparece como uma forte tendência comportamental do consumidor, que tende a dar preferência às carnes e queijos porcionados e a variar cada vez mais os produtos que vão na cesta, de maneira que a conta final caiba no bolso.

4 – Mais personalização e menos nichos
Personalizar as vendas pode ser uma excelente estratégia para a maximização dos resultados para as marcas alimentícias. Dessa forma, é possível atender aos consumidores de forma mais ampla.

5 – Preocupação com sustentabilidade
Marcas alinhadas às expectativas do consumidor também deverão sair na frente em 2023. A utilização de materiais inovadores, capazes de evitar o desperdício e o descarte de matéria-prima plástica sem deixar de entregar embalagens de qualidade, é um grande passo rumo à oferta de produtos sustentáveis, adequados aos novos padrões de consumo.

*Com supervisão de Bruno Mello e Priscilla Oliveira.


Publicidade