Criar conteúdo nas redes sociais está cada vez mais desafiador: além de criar artes atrativas, conteúdos que engajem e que façam sentido para a audiência, é preciso estar sempre atualizado quanto às mudanças do algoritmo que fazem com que o alcance diminua da noite para o dia. A boa notícia é que quem está preparado para as mudanças, colhe os melhores resultados. 

O uso do neuromarketing e do storytelling são duas estratégias que vem dando certo, já que mesmo com as constantes mudanças das plataformas, eles criam um poder de atração grande que faz com que as perdas sejam irrisórias.

Quatro lançamentos de livros recentes falam sobre isso:

Em Storytelling – A arte das narrativas milionárias, os autores best-sellers Gustavo Ferreira e Paulo Macedo apresentam um “livro-curso” com lições práticas que podem ser aplicadas na rotina de produção de conteúdo com narrativas engajadoras, para ganhar influ~encia, diferenciar-se no mercado e, claro, vender mais.

Já os fundadores da Sales Brain, Christophe Morin e Patrick Renvoise, assinam o livro O Código da Persuasão. A obra mostra um conjunto de conhecimentos disruptivos, provocantes, profundos e, ao mesmo tempo, práticos, que mesclam as descobertas da neurociência com a disciplina de Marketing.

Além disso, a especialista em Storytelling para negócios e mestre em Gestão e Liderança, Gabriela Dolan, propõe uma jornada crescente rumo à implementação do “Brand Storytelling” ou “Storytelling de Marca”, usado para definir e diferenciar pessoas e corporações. No livro Histórias Magnéticas, ela apresenta cases bem-sucedidos em diversas partes do mundo. 

Já o livro Uma Nova Vida, de Lourival Junior, impactará o leitor no primeiro contato: a lombada invertida, posicionada à direita, promove uma leitura “contrária”, da última página à primeira; uma técnica de gamificação que desafia o leitor a se manter atento e mais consciente para absorver o conteúdo. O recurso exercita a neuroplasticidade – capacidade de o cérebro se adaptar a novos padrões de experiência –, grande aliada das mudanças de comportamento propostas no livro. 

Leia também: Marcas devem utilizar o Marketing de Influência de forma planejada e criteriosa, avalia Squid