Os impactos (e benefícios) da transformação digital na área da comunicação Bruno Mello 27 de setembro de 2023

Os impactos (e benefícios) da transformação digital na área da comunicação

         

A digitalização, quando bem aplicada, pode ser um fator estratégico para o posicionamento de uma marca e o trabalho de agências

Os impactos (e benefícios) da transformação digital na área da comunicação
Publicidade
Amazon Prime Day

Nos últimos anos, temos observado os impactos e disrupções impulsionadas pela transformação digital nos mais diversos segmentos da economia – da indústria aos diferentes nichos do setor de serviços, incluindo, sem dúvidas, a área de comunicação e marketing.

Nesse sentido, cada vez mais podemos enxergar as rotas de uma jornada em que novas tecnologias e talentos humanos caminham em conjunto no processo de construção das estratégias de posicionamento de uma empresa. Dentro desse contexto, oportunidades e desafios também surgem de modo concomitante.

Fato é que, dentro de uma economia digitalizada e de intensa competição, manter uma comunicação eficiente, objetiva e próxima com seu público é não só um diferencial, mas uma questão de sobrevivência para as empresas – e isso, naturalmente, abre o leque de possibilidades para a atuação de agências especializadas em modelos de comunicacionais alinhados com as novas tendências do mercado, como inbound marketing e a integração dos esforços de assessoria, vendas e comunicação interna.

O momento atual do mercado acelerou também a digitalização dos consumidores de mídia – e, claro, de bens de consumo –, fato que, consequentemente, demanda uma presença correspondente por parte das companhias em mídias relevantes do universo virtual.

Para termos uma ideia mais clara desse novo ambiente, o estudo Cenário Digital do Varejo 2023 aponta que são cerca de 156 milhões de usuários que passam mais de 5h online por dia, adeptos de mídias sociais como WhatsApp, Youtube, TikTok e Instagram.

Publicidade

Ainda, se considerarmos que 61% dos consumidores compram mais pela internet do que em lojas físicas, podemos depreender que existe, nesse contexto, uma clara oportunidade para as empresas entenderem seu público de forma mais aprofundada, detalhada e, assim, realizar uma comunicação mais adequada com seus consumidores e potenciais clientes – inflando, assim, suas vendas.

Impactos, benefícios e novas ferramentas

E, se as novas tecnologias mudam a forma como consumidores conhecem e adquirem produtos, e como as empresas se comunicam, elas também abrem novas exigências para a rotina de agências de comunicação.

De modo geral, como vimos, o processo de digitalização – tanto de negócios quanto de consumidores – tende a trazer impactos positivos para as empresas, ao mesmo tempo que cria um público naturalmente mais exigente. Nesse contexto, as pessoas buscam por experiências – completas, satisfatórias e humanizadas. E é nesse ponto que entra a importância de uma comunicação empática e bem trabalhada.

Para que isso seja possível, é imprescindível que as agências e assessorias se utilizem de soluções que tornam mais sofisticados, por exemplo, os caminhos para o conhecimento de um lead – quais são seus desejos, anseios e preferências como consumidor.

De sorte que, hoje, ferramentas de análise de dados e baseadas em inteligência artificial já permitem um conhecimento mais aprofundado acerca dessas questões, e sua utilização pode ser essencial justamente para a construção de estratégias de marketing e comunicação mais assertivas e personalizadas.

Conforme apontado anteriormente, áreas de comunicação cada vez mais se entrelaçam ao setor comercial nas empresas, fato que as torna aliadas ainda mais importantes na mensagem que é passada para o consumidor.

Isso porque, a partir das chamadas “pegadas digitais” – rastros de informações deixadas por usuários na internet, que podem contemplar seus interesses, gostos e desejos, por exemplo –, as marcas podem, com base nelas, criar conteúdos realmente atraentes, que sejam condizentes com aquilo que os consumidores de fato buscam de modo espontâneo.

Tecnologia como suporte

Com a ascensão de novas e mais robustas tecnologias (suportadas, principalmente, em inteligência artificial e machine learning e cujo exemplo mais evidente é o ChatGPT), acendeu-se a discussão a respeito da relevância do trabalho humano em diversas áreas e não poderia ser diferente para a comunicação.

Dentro do contexto discutido neste artigo, é importante entendermos que o profissional e as equipes de comunicação desempenham o papel fundamental de atribuir o aspecto da humanização às relações entre empresas e consumidores, algo que não é possível só com a utilização de novas ferramentas.

Contar com agências que saibam unir o potencial de análise de ferramentas IA, CRM e analytics para a geração de insights e o trabalho criativo e estratégico de profissionais especializados é, nesse sentido, uma alternativa para empresas que desejam desenvolver ações de comunicação não só eficientes, mas personalizadas, empáticas e plurais.

Em outras palavras: a transformação digital da área de comunicação é um processo benéfico e positivo, desde que não se perca de vista o fator humano capaz de inspirar a aproximação entre marcas e consumidores.

*Juliana Garcia é CEO da IDEIACOMM. Comunicóloga, jornalista por formação e apaixonada pelo trabalho de mídia espontânea. Atua há mais de 15 anos como Public Relations, sendo que, deste período, 10 anos à frente da IDEIACOMM, agência de conteúdo, social media e assessoria de imprensa para empresas de Tecnologia, Startups, Tributaristas e área jurídica.


Publicidade