Visões para 2010 – Lourenço Bustani 7 de janeiro de 2010

Visões para 2010 – Lourenço Bustani

         

2010

Publicidade
Oferta Antecipada Prime Day

<p class="MsoNormal" style="text-align: left; line-height: normal; margin: 0cm 0cm 0pt"><b><span new="" style="font-family: "><font size="2"><o:p></o:p></font></span></b><span new="" style="font-family: "><font size="3"><img alt="" align="right" width="300" height="225" src="/images/materias/Blog%20Beth/yin%20yang(1).jpg" /></font></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align: left; line-height: normal; margin: 0cm 0cm 0pt">Não costumo apostar em uma única visão sobre o futuro. Acredito que habitamos um mundo complexo demais para postura tão simplista. Muitas coisas vêm acontecendo, algumas previsíveis, outras impostas e ainda outras provindas de forças maiores.</p> <p class="MsoNormal" style="text-align: left; margin: 0cm 0cm 0pt"> </p> <p class="MsoNormal" style="text-align: left; margin: 0cm 0cm 0pt">Dentro deste contexto altamente efêmero, acredito que 2010 dará continuidade a uma transformação que vem ganhando força nos últimos tempos, acelerada pela crise avassaladora pela qual estamos passando (não apenas econômica, é óbvio): um novo olhar em relação ao mundo e às relações nele contidas.</p> <p class="MsoNormal" style="text-align: left; margin: 0cm 0cm 0pt"> </p> <p class="MsoNormal" style="text-align: left; margin: 0cm 0cm 0pt">Apesar de ainda prevalecerem os modelos antigos e hierárquicos, fundados nos princípios defasados do acúmulo irrestrito de capital (graças em parte às salvaguardas dadas aos bancos na mais recente crise), uma nova luz se acendeu em 2009. Esta luz cultiva mentes, ilumina caminhos e retrata um cenário futuro no qual lucro por lucro não é um suficiente.</p> <p class="MsoNormal" style="text-align: left; margin: 0cm 0cm 0pt"> </p> <p class="MsoNormal" style="text-align: left; margin: 0cm 0cm 0pt">Trata-se de um resgate, um re-olhar, uma evolução da condição humana. Compaixão, amor e respeito ao próximo ganharão força. O Yin buscará maior igualdade com o Yang. Colaboração substituirá competição. Felicidade se tornará meta. Visão idealista? Ingênua? Utópica? Possivelmente. Mas se ninguém sonha, ninguém se mexe. E se ninguém se mexer, não adiantará cultivar visões do futuro, porque teremos a maior certeza de continuarmos estagnados, olhando para o retrovisor ao invés do pára-brisas.  </p> <p> </p> <p class="MsoNormal" style="text-align: left; line-height: normal; margin: 0cm 0cm 0pt"><br /> Lourenço Bustani – sócio-diretor da Mandalah – uma empresa de comportamento e inovação. <a href="http://www.mandalah.com.br">www.mandalah.com.br</a></p>


Publicidade
Prime Day