Uma pequena cidade chamada Shopping Center 2 de março de 2016

Uma pequena cidade chamada Shopping Center

         

Por conta da possibilidade de planejamento prévio, um fator que chama a atenção é que um bom Shopping é um excelente exemplo de curadoria. Alguns contam até com espaço ecumênico

Publicidade
Amazon Prime Day

Se os maiores Shopping Centers do País fossem cidades, eles teriam algumas características em comum. Seriam cidades: organizadas, bonitas, seguras, com um clima agradável. Bem, estas seriam apenas as primeiras características. A pergunta que me faço sempre que vou a um Shopping é: “Por que estes lugares são tão atraentes? ” Sim, parece óbvio que eles são desenhados para serem exatamente assim, atraentes!

Alguns locais, porém, chegam a menosprezar a inteligência das pessoas. Feitos de maneira circular para que se perca a noção do tempo e do espaço. Mas hoje não quero falar daquilo que pode ser melhorado, mas daquilo que podemos aprender com estes locais que encantam pessoas de todas as idades. As informações que coloco a seguir não são fatos científicos, mas fruto da minha própria observação.

A primeira característica que é fundamental para qualquer local que irá receber pessoas, seja uma casa, um Shopping ou uma cidade é infraestrutura. Esta é a base e início de tudo. De partida, esta é a primeira vantagem competitiva que um Shopping pode oferecer. Se bem desenhado, ele terá estacionamento, área de circulação coberta, segurança e pessoas oferecendo informações, locais de coleta de lixo e banheiros acessíveis – quase uma cidade perfeita! Isto tudo pode parecer um tanto óbvio, mas é aí que começa a oportunidade dos aprendizados.

Pense por um instante em uma rua em uma cidade qualquer que foi preparada para o comércio. Por melhor que seja seu desenho, sem acesso fácil, seja a pé, de transporte público ou de carro, o cliente pensará duas vezes antes de se deslocar. O único motivo pelo qual as pessoas continuam indo em ruas como a 25 de março em São Paulo é qualquer outra coisa, menos acessibilidade e conforto.

Antes mesmo de um Shopping ser construído, há um extenso planejamento de arquitetura, distribuição de lojas, circulação etc. Por esta comodidade, os preços tendem naturalmente a crescer um pouco. Mas, calma, este é apenas o primeiro fator. Um Shopping pode ser o microcosmo de uma cidade – e alguns realmente são, com uma ‘população circulante’ que facilmente excede 10 mil pessoas.

Publicidade

Por conta desta possibilidade de planejamento prévio, o segundo fator que mais me chama a atenção é que um bom Shopping é um excelente exemplo de curadoria. Há normalmente algumas lojas âncoras, lojas secundárias, espaços de serviços, alimentação, lazer e eventualmente até cultura. Alguns Shoppings mais novos contam até com espaço ecumênico.

Na minha visão, quanto melhor for a combinação entre todos os fatores acima, melhor a possibilidade de movimentação no Shopping. Claro, localização é a base de tudo, mas mesmo com a melhor localização, o Shopping pode acabar enchendo somente a praça de alimentação.

O terceiro e último fator que vejo é a conexão que o Shopping estabelece com seus clientes. Isto inclui também um olhar para as pessoas que trabalham no Shopping. A forma que encontrei de fazer uma medição rápida desta conexão foi através da quantidade de flores que o Shopping distribui. Explico: se um investimento é feito com o principal objetivo de gerar resultado financeiro, ao longo do tempo aquilo que não gera valor diretamente começa a ser facilmente questionado e excluído da planilha. As flores não têm por si só uma função prática. Sim, as flores podem ser de plástico, e neste caso, o interesse nos clientes também acaba sendo ‘de plástico’.

Agora, e este é o grande convite que faço ao final deste artigo, pense por um instante todo este planejamento, todas estas características direcionadas para regiões específicas de cidade, ou mesmo para a cidade toda. Poderíamos aferir a partir destes aprendizados o quanto as cidades estão preocupadas com as pessoas que lá residem e trabalham ou somente com arrecadar mais impostos! 


Publicidade