Últimas Notícias

Publicidade
Publicidade
Mercado

Plant-based: opções de sabores e preparo aumentam oportunidades no setor

Acompanhar essa tendência, no entanto, envolve grandes desafios para ganhar aderência entre consumidores. Veja cases nacionais e internacionais

Por Redação - 21/10/2021

O mercado plant-based (“à base de plantas”, em português) está em franca expansão e tendo recordes de investimentos no setor. O ano de 2020 trouxe muitas oportunidades para as empresas produtoras de alimentos alternativos, segundo dados do Instituto The Good Food (GFI). No Brasil, o investimento atingiu US$ 3,1 milhões. 

De peixes a ovos, as opções se expandem para um consumidor cada vez mais exigente. Eles chegam em opções variadas quebrando paradigmas do que itens à base de plantas podem oferecer. Feijoada, bebidas, chocolates, sashimi, sem contar cosméticos podem ser feitos à base de vegetais. 

A Packaged Facts prevê que os queijos de origem vegetal se tornarão a segunda maior categoria no setor de laticínios alternativos até 2029. Acompanhar essa tendência, no entanto, envolve grandes desafios, que incluem desde sabores até opções de preparo. Isso porque cada região tem suas particularidades de consumo. Na América Latina, por exemplo, as pessoas preferem diferentes modos de cozinhar de acordo com cada alimento: assado ao forno, assado na brasa, frito, defumado, grelhado, cozido e até cru. 

Durante a Expo Based-Plant, que aconteceu em Londres nos dias 15 e 16 de outubro, mais de cem marcas apresentaram suas novidades para a categoria. Essa foi a primeira feira comercial da Europa baseada apenas em plantas. Dentre as novidades apresentadas estavam Chicken popcorn vegano, pela VFC, caviar e camarão vegano do Caviart, feito de algas e bacon vegano da La Vie.

A Heather Mills anunciou em seu discurso de abertura que sua linha de maquiagem vegana entrará no varejo alemão para o Natal nas lojas Muller e sob a marca VBites, lançara uma linha de tortas veganas.

Novidades no Brasil

No Brasil, a foodtech NotCo lançou o NotMilkinho. O novo produto atende às expectativas dos pais que buscam opções à base de plantas que entreguem sabor, textura e nutrição igual aos similares de origem animal para suas crianças, introduzindo desde cedo uma alimentação variada e o cuidado com o meio ambiente. O novo produto tem 200mL, com o tamanho perfeito para a lancheira da escola ou do passeio com os pais. 

Inovar no segmento com qualidade era um desafio e a NotCo conseguiu trazer o mesmo sabor e textura que os achocolatados de origem animal, sem transgênicos. Com sabor delicioso de chocolate é feita com 100% vegetais, sua produção tem um impacto ambiental muito menor, além de também trazer um canudinho de papel, material biodegradável. NotMilk consome 92% menos água, 74% menos energia e emite 74% menos CO2 quando comparada à produção do leite de vaca. Além do NotMilkinho, a NotCo também produz o NotMilk, sua versão de leite, o NotIceCream, NotBurger e NotMayo.

Outra novidade no mercado brasileiro é a chegada do KitKat vegano, em edição limitada. A empresa mantém a crocância e sabor, utilizando somente ingredientes à base de plantas e sem leite em sua composição. A novidade, anunciada em fevereiro, já foi lançada em junho desse ano em outros países como Polônia, Lituânia, Estônia e Reino Unido, como parte importante da estratégia da Nestlé, fabricante do chocolate, de ampliar seus produtos aos consumidores veganos e vegetarianos. 
 

Leia também: Alergia e intolerância alimentar: mais que um nicho, uma oportunidade de UX - conteúdo exclusivo para assinantes. Assine já!