Últimas Notícias

Publicidade
Publicidade
Planejamento Estratégico

Morning Trends: Conectando Reality Show às Redes Sociais

Primeiro episódio da série trouxe Eduardo Carneiro, Diretor Geral da Comscore Brasil, apontando insights sobre ações nos canais digitais

Por Redação - 09/06/2021

Os realities shows chegaram ao Brasil no início dos anos 2000, quando as emissoras de canais abertos apostaram no formato adaptado ao público brasileiro. Casa dos Artistas, No Limite e Big Brother Brasil foram os primeiros projetos, que contavam pouco com a participação do público. Mesmo o BBB que possuía abertura de voto pela audiência fora da casa, os votos eram feitos por telefone ou SMS. Anos se passaram até que os votos pela internet puderam ser feitos. A integração com a internet, por sua vez, trouxe ao Reality Show uma nova dinâmica.

Em 2020, por exemplo, por causa do isolamento social, o número de adeptos ao formato televisivo cresceu. Durante o Morning Trends, uma série do Mundo do Marketing que vai apresentar rápidos insights nas manhãs de quarta-feira, Eduardo Carneiro, Diretor Geral da Comscore Brasil, apontou insights sobre ações nos canais digitais mostrou a tendência no consumo em minutos em Social e Entretenimento é de crescimento. 

Isso porque mais da metade das pessoas (51%) concordam que a internet é sua fonte principal de entretenimento. Outro dado é que 34% concordam que enquanto assistem TV, geralmente comentam o que estão assistindo nas redes sociais. “Antes o programa acabava e com ele o conteúdo das marcas patrocinadoras também. Hoje, não. Com as redes sociais, o conteúdo continua após o fim do programa, o que permite às marcas criar novos diálogos”, contou Eduardo Carneiro, Diretor Geral da Comscore Brasil, durante o primeiro episódio do Morning Trends.

Veja abaixo alguns insights dados pelo especialista:

- O Reality Show é um pingo de felicidade em meio a momentos difíceis como doença e desemprego. As marcas devem explorar essa felicidade e criar conteúdos que tragam isso para as pessoas.

- Qualquer setor pode investir em ações relacionadas a Reality Shows. A marca só precisa entender como conectar seu público às ações do reality e às redes sociais.

- Em 2020, a audiência teve um engajamento exponencial com as contas sociais de Reality Shows, porque as pessoas estão querendo interagir. 

- Todo mundo é influenciador e quer ser ouvido dentro da social media. As pessoas estão carentes de conversas presenciais e realocam elas para as redes sociais. 

- Cada plataforma performa melhor para cada tipo de reality ou conteúdo. Instagram segue sendo a que mais traz buzz. Facebook e Twitter surgem em seguida. Cada uma delas tem sua razão de existir e uma não substitui a outra.

- Social Commerce traz a chance para as marcas explorarem o diálogo sobre Realities nas redes sociais levando para seu e-commerce. Um exemplo, é o da Avon que vem explorando ao máximo os resultados obtidos pós BBB 21.

O Morning Trends acontecerá todas as quartas-feiras, às 9h, com entrevistas de Bruno Mello, Sócio Fundador do Mundo do Marketing. 


Participe do Rota 360º - a sua trilha de conteúdo para se tornar um profissional de Marketing moderno

Neste mês o tema é sobre Redes Sociais!