Últimas Notícias

Publicidade
Publicidade
Mercado

Mercado Livre investirá R$ 10 bi no Brasil este ano

Companhia alocará recursos na área de logística, incluindo caminhões, aviões e novos armazéns, além de ampliar a oferta de crédito de seu braço financeiro

Por Priscilla Oliveira - 03/03/2021

O Mercado Livre investirá R$ 10 bilhões no Brasil em 2021 a fim de melhorar sua posição em seu principal mercado. A companhia enxerga a América Latina como a região de maior crescimento do comércio eletrônico no mundo e para isso alocará os recursos na área de logística, incluindo caminhões, aviões e novos armazéns, além de ampliar a oferta de crédito de seu braço financeiro e de produtos em seu marketplace, como de supermercados.

O valor, equivalente ao investido pela empresa no país nos últimos quatro anos, foi divulgado na esteira do crescimento explosivo das operações no quarto trimestre e vem após anúncios de investimentos bilionários rivais, incluindo da norte-americana Amazon no país. O faturamento do Mercado Livre quase dobrou no período, indicando que o comércio online seguiu ganhando terreno, mesmo com flexibilização parcial do isolamento imposto para conter a Covid-19. A receita líquida somou 1,3 bilhão de dólares de outubro a dezembro, alta anual de 96,9% em dólares - mesmo com a forte depreciação cambial que atingiu todas as moedas da região no período, no encalço da crise provocada pela pandemia.

LEIA TAMBÉM: O guia das vendas no Mercado Livre

Se medida pela divisa de cada país, a receita cresceu 148,5%. O Brasil, que responde por 54% da receita, teve alta de 68% em dólar e de 120% em real. As companhias da categoria têm anunciado investimentos bilionários em logística nos últimos meses para ganharem escala na América Latina, região onde o comércio online mais cresce no mundo, segundo dados da consultoria e-Marketer.

LEIA TAMBÉM: Marketplaces tiveram que se reinventar em tempo real durante a pandemia

Os investimentos em tecnologia e em logística própria reduziram a dependência de terceiros e ampliaram a eficiência de custos no processo: três anos atrás, 95% das encomendas eram entregues pelos Correios, mas no fim de 2020, esse percentual havia caído para menos de 10%. Isso porque a rede do serviço de logística do grupo, Mercado Envios, atingiu no Brasil uma penetração de 79% do total das entregas no quarto trimestre ante 68% na comparação anual.

Com informações da Reuters.

Mercado Livre