Últimas Notícias

Publicidade
Publicidade
Planejamento Estratégico

Empresas devem reavaliar seus propósitos para melhorar experiência

Novo estudo Fjord Trends, feito pela Accenture Interactive, destaca sete tendências emergentes que podem moldar o mercado de experiência das empresas no Brasil

Por Thiago Terra - 10/02/2020

De acordo com mais de 1.200 designers e desenvolvedores da divisão de design e inovação da Accenture Interactive, é hora das empresas reavaliarem seus propósitos e posicionamentos. O relatório Fjord Trends 2020 trata de apresentar anualmente as previsões sobre o futuro dos negócios, da tecnologia e do design. Para este ano, as principais tendências que podem moldar a experiência são:

Faces do crescimento

Atualmente o sucesso de uma marca não equivale somente ao seu crescimento ou receitas. Para os profissionais da Fjord é importante que as organizações reavaliem seus objetivos corporativos e se atentem sobre o que representam.

Significados do dinheiro

A relação do consumidor com o seu próprio dinheiro está mudando, assim como a forma que pagamos contas e essas mudanças geram novas oportunidades para produtos e players de mercado.

Privacidade X Conveniência

Em 2020 as empresas precisam estar atentas ao equilíbrio entre a conveniência e a privacidade em relação aos seus usuários.

Pessoas líquidas

Cada vez mais as empresas terão que lidar com perfis e menos com pessoas e isso impacta os hábitos de consumo. Por isso, as novas experiências de consumo oferecem inúmeras oportunidades.

Desenvolvendo inteligência

A experiência com Inteligência Artificial começa a desenvolver automação para sistemas que mesclam a inteligência humana com a artificial, gerando maior interação entre elas.

Cópias digitais

Os digital twins estão cada vez mais integrados ao dia a dia das pessoas e migram das indústrias para as empresas. trata-se de uma representação virtual de um objeto ou sistema físico em todo o seu ciclo de vida.

Design centrado na vida

A viabilidade técnica dos projetos deixa ser ser vislumbrada por um “eu” e passa a ser considerada por “nós”. O design passando de uma abordagem centrada no usuário para centrar na vida.