Últimas Notícias

Publicidade
Publicidade
Comportamento do Consumidor

Ford mapeia seu consumidor em relatório sobre tendências para 2020

Pesquisa feita com mais de 13 mil consumidores em 14 países detalha o comportamento dos adultos em relação à marca, produto e também que tipo de serviços esperam das empresas

Por Thiago Terra - 20/01/2020

Em 2020 a confiança continua sendo um tema importante para o consumidor da Ford de acordo com o relatório de tendências da marca, feito anualmente. Com a mudança de comportamento do consumidor a Ford Motor Company, marca com quase 120 anos de história, está diante de um território desconhecido até então e, por isso, reconhece a confiança como essencial para.

Na Ford, o automóvel é pensado como ponto de encontro entre pessoas, seja para o transporte até o trabalho, para fazer viagens com amigos, ou apenas se deslocar na cidade. Mais de 50% dos participantes deste relatório afirmaram que suas melhores conversas acontecem em viagens de carro, contra 46% que escolheram o trajeto até o trabalho como a melhor maneira de se atualizar com familiares e amigos.

Apesar do aumento da expectativa pelo comércio online, 75% dos consumidores Ford querem mais interação humana, assim como serviços personalizados, interações, além de mimos e agrados. Portanto, hoje as empresas precisam competir também com as melhores experiências que os seus clientes já tiveram, seja qual for a marca, o segmento ou o produto.

Uma das tendências de maior impacto é o atendimento e, segundo o relatório, no Brasil 74% dos consumidores da marca acreditam que ser mal atendido frustra mais do que no passado. Na mesma faixa dos 70% aparecem ainda Estados Unidos, México, Canadá, Reino Unido, Itália, França, Espanha, Austrália e Índia. A China apresentou o menor índice, com 48%.

Os colaboradores têm impacto significativo na experiência do consumidor para 71% dos consumidores e 44% acreditam que eles entendem suas necessidades. Por outro lado, 52% dos pesquisados adultos acham que o serviço ao cliente feito de forma ruim é o padrão do mercado, e não o oposto. Além disso, 67% desse mesmo perfil de consumidor tem expectativas maiores em relação as marcas e 40% já tentaram desestimular amigos e familiares a fazer negócio com empresas que não gostam.

Abaixo destacamos as principais tendências do relatório sobre o consumidor Ford, com foco no perfil adulto:

- 74% acredita que mais marcas hoje estão tentando fazer as coisas certas;

- 77% diz que os consumidores estão forçando as marcas a agir mais eticamente;

- 63% diz estar mais consciente da posição de uma marca em relação à armas, imigração e igualdade do que no passado;

- 59% se preocupa mais com a conveniência da compra do que com os valores da marca;

- 75% se preocupa com a compra responsável de materiais ao escolher produtos;

- 67% não dá chance para uma marca em que perderam a confiança;

Entre os motivos que fazem o consumidor escolher uma marca em detrimento a outras, veja abaixo os índices de resposta dos adultos:

- 66% prefere empresas transparentes, legalizadas e que trate os empregados de forma justa;

- 65% prefere companhias que tratam bem seus colaboradores;

- 52% escolhe uma marca que representa algo maior do que apenas os produtos e serviços, que estejam alinhadas com valores pessoais;

- 62% aprecia marcas que têm valores éticos e demonstra autenticidade em tudo o que faz.

O relatório Ford também aponta para um estigma que tem perdido força em todos os países, que é a compra de produtos usados. Nos Estados Unidos, 68% dos consumidores americanos concordam que não há mais este estigma. O maior índice é na França, com 93%, o Brasil aparece com 68%, a China com 88% e na última posição o Oriente Médio, onde 65% dos consumidores concordam que comprar carros usados não é mais um estigma. 

Para 60% dos adultos que participaram do estudo, após cinco anos este é o momento com maior probabilidade para a compra de itens usados. 62% dos adultos preferem comprar usados mediante boas opções.

O Relatório de Tendências Ford 2020 contou com 13.003 entrevistas online com consumidores a partir de 18 anos de idade, de 14 países. A pesquisa foi realizada entre 8 e 16 de novembro de 2019.