Supermercados propõem alternativas para sacolas plásticas no RJ | Mundo do Marketing

Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Últimas Notícias

Supermercados propõem alternativas para sacolas plásticas no RJ

As bolsas reutilizáveis serão vendidas pelos supermercados a R$ 0,08 a unidade. Apesar de não serem biodegradáveis a padronização trará grandes vantagens para diminuir a poluição

Por | 27/06/2019

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Já está definido o prazo para que os supermercados do Rio de Janeiro passem a usar sacolas feitas com plástico a partir da resina da cana de açúcar. Com este novo tipo de material, o objetivo da "lei das sacolinhas", do deputado estadual Carlos Minc (PSB - RJ), é diminuir os impactos das sacolas convencionais no meio ambiente, já que a sua produção contribui para emissões de CO2, derivado 100% do petróleo.

Os supermercados cariocas terão até o dia 25 de junho para substituir as sacolas tradicionais por outras produzidas com 51% de materiais renováveis. As bolsas reutilizáveis serão vendidas pelos supermercados a R$ 0,08 a unidade. Apesar de não serem biodegradáveis a padronização trará grandes vantagens para diminuir a poluição e geração de resíduos.

Redes de Portugal procuram alternativas

As questões que envolvem as sacolas plásticas nos supermercados estão sendo discutidas em diversos países e em Portugal os supermercadistas também estão dispostos procurar alternativas. As redes do setor incentivam os consumidores a reciclar garrafas de plástico em troca de abatimentos nas compras.

Segundo o estudo "Hábitos e Atitudes dos Portugueses face à reciclagem de Resíduos", feito pela empresa lusitana Novo Verde, este é o valor pelo qual os consumidores estão dispostos a levar essas embalagens plásticas para serem recicladas nos supermercados.

Cerca de 91% dos 850 entrevistados concorda com a proibição dos sacos de plástico usados para colocar as frutas e legumes. Por outro lado, 11% dos portugueses que não fazem a reciclagem por "falta de hábito" ou pela distância do ecoponto para suas casas. Com esta predisposição do consumidor, a pesquisa estima que entre 2020 e 2022, o sistema de reciclagem será um grande sucesso no país.

Rede propõe ecobag caseira

Com mudança das sacolas convencionais prevista para começar a partir do dia 26 de junho no Rio de Janeiro, a Rede UNNO resolveu ensinar o consumidor a fazer sua própria ecobag. A empresa apresenta a lista de material para criar uma bolsa com o objetivo de preservar o nosso meio ambiente.

O material necessário para compor uma ecobag é:

  • Algodão cru (mínimo 40 x 60 cm)
  • Cola para tecido
  • Régua
  • 2 tiras de nylon
  • Molde da estampa
  • Jornal ou papelão
  • Tesoura
  • Caneta para tecido
  • Lápis

Veja abaixo o processo.

PASSO A PASSO:

1. Em cada uma das laterais do algodão, meça, com a régua, 2 cm, da borda para dentro. Depois, passe a cola para tecido, dobre e espere secar. Esta será a bainha!

2. Com a régua novamente, marque o meio do tecido, no sentido do comprimento. Passe cola nas duas bordas de uma das metades do tecido. Depois, dobre-o ao meio para colar as laterais e criar o formato de bolsa.

3. Agora é a vez das alças! Elas serão feitas com as tiras de nylon. Para colar, passe a cola para tecido nas pontas das tiras e fixe-as na sacola.

4. Quando a cola estiver bem seca, vire a sacola pelo avesso. Esta que será a parte de fora da sua sacola!

5. Já escolheu sua estampa? Para fazê-la, primeiro coloque jornal ou papelão dentro da bolsa. Assim, você evita que a tinta da caneta passe para o outro lado!

6. Ponha o molde entre o jornal e o tecido da bolsa, de forma que você enxergue o desenho através do tecido, e personalize do seu jeito!

Comentários


Inteligência Inteligência

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2019.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2019. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss