Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Últimas Notícias

Internet das Coisas movimentará R$ 10 bi em 2021

Potencial de crescimento está em setores como a agricultura, saúde e smart cities, ainda que indústria automotiva seja responsável por maior parte do investimento

Por | 19/05/2017

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Com a conectividade onipresente se tornando regra globalmente e a Internet das Coisas (IoT) começando a se tornar uma realidade, os gastos com Industrial IoT no Brasil deverão crescer rapidamente até 2021, chegando a alcançar receitas de US$ 3,29 bilhões - ou R$ 10 bilhões, segundo o estudo "O Mercado industrial brasileiro de Internet das Coisas, Cenário para 2021", feito pela Frost & Sullivan.

Embora ainda esteja em seus estágios iniciais de crescimento, o anúncio recente do BNDES sobre a elaboração de um estudo de IoT que marcará a criação de políticas públicas a serem implementadas nos próximos anos deverá impulsionar investimentos no ecossistema de Internet das Coisas. O relatório, que exclui objetos que exigem interface humana se refere a receitas de hardware, como módulo de conectividade e outros componentes, software e serviços diretamente ligados a soluções IoT.

Em 2016, esse setor no Brasil atingiu uma receita de mais de US$ 1,3 bilhão, sendo a indústria automotiva e as manufaturas verticais as mais relevantes. O potencial de crescimento está em outros setores como a agricultura, saúde e smart cities. A expectativa é que a área da saúde tenha as mais altas taxas de crescimento anual, gerando uma reação em outros mercados, começando por negócios B2C, e então envolvendo empresas. As tecnologias voltadas aos pacientes são mais fáceis de serem adotadas, como serviços móveis, apps e dispositivos, que levarão o mercado de saúde B2C a atingir a soma de US$610 milhões em 2020.

Uma das conclusões do estudo é que o ecossistema de IoT no Brasil ainda é fragmentado. Há desafios de ampliar a capacidade de consultoria e integração para que as empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação ofereçam soluções ponta-a-ponta em IoT.

No mundo
Em todo o mundo, a adoção da internet das coisas dará um salto nos próximos anos, segundo o estudo do grupo Hewlett Packard Enterprise. Mais de um terço (85%) dos negócios pretendem adotar a IoT até 2019, guiados pela necessidade de inovação e de eficiência nos negócios. O relatório indica que os resultados positivos com a IoT estão superando as expectativas. Enquanto apenas 16% dos entrevistados projetaram grandes lucros, 32% dos reportaram crescimento logo após a adoção da nova onda tecnológica.

De forma semelhante, enquanto 29% dos executivos disseram esperar que suas estratégias para a Internet das Coisas resultassem em melhorias na eficiência, os resultados alcançados mostram que 46% já conseguiram ganhos de eficiência. Ainda segundo a pesquisa, 72% das empresas adotaram dispositivos de IoT no ambiente de trabalho, sendo que 20% reportaram a operação remota de iluminação e controle da temperatura de prédios como o uso principal.

Para 78% a adoção dessa tecnologia no ambiente de trabalho aprimorou a eficiência da equipe de TI e 75% apontam crescimento na lucratividade. Já no setor industrial 62% já adotaram IoT, em uso para monitorar e manter funções essenciais. Na indústria, 83% apontaram o crescimento na eficiência dos negócios e 80% identificaram aumento na visibilidade em toda a organização.

Assim como no Brasil a área da saúde despontará no uso dessa ferramenta, o restante do mundo também percebe o avanço dessa categoria, que já é o terceiro setor mais avançado na adoção da IoT - cerca de 60% das empresas de saúde já implementaram equipamento de IoT em suas unidades. Nessa área, 42% apontam principal uso em monitoramento e manutenção.

Entre aqueles que adotam a tecnologia, nem todos pensam em como ela será aplicada na experiência do usuário. É o caso do varejo, em que 49% dos gestores usam IoT, mas 81% se importam com aprimoramento. Os serviços de envio de ofertas personalizadas e de informações de produtos dentro das lojas aos consumidores surgem como a principal adoção da IoT nessa área, junto com monitoramento e manutenção. Além disso, quatro em cada dez varejistas colocaram vigilância entre os três principais usos da IoT.

Leia mais: Como a Internet das Coisas (IoT) vai impactar o seu negócio - estudo do Mundo do Marketing Inteligência.





Comentários


Publicidade

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2015.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2017. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss