Últimas Notícias

Publicidade
Publicidade
Pesquisa

Número de mulheres em cargos de liderança ainda é pequeno no país

Pesquisa da Nielsen aponta apenas 4% das vagas de executivos mais importantes do país são de mulheres. Estudo destaca ainda três principais características delas como consumidoras

Por Bianca Ribeiro - 08/03/2016

Apesar das grandes realizações que as mulheres vêm conquistando ao longo dos anos, elas ainda se deparam com muitas barreiras ligadas ao trabalho. No Brasil, 47% das empresas não têm mulheres na liderança, 5,6% do público feminino ocupam cargos na diretoria e apenas 4% das vagas de executivos mais importantes do país são de mulheres.

Entretanto, mesmo diante desse cenário desigual entre os gêneros, de 2013 e 2014 as mulheres investiram mais que os homens em sua formação acadêmica (16,5% contra 12,5%) e tiveram maior crescimento de salário (+7,5% contra 6,8%), mesmo que ainda ganhem menos. Neste período, 40% do público feminino também comandou seus lares no país, o que inclui o monoparental, trazendo a maior parte da renda.

De acordo com o último estudo global da Nielsen Confiança do Consumidor, que mede a percepção de perspectivas de empregos locais, finanças pessoais e intenções imediatas de gastos, 74% das mulheres estão mais céticas e menos confiantes com a economia do que os homens (79%). Elas também acreditam que a perspectiva de trabalho não melhorará nos próximos 12 meses e que o momento não é dos melhores para gastar com coisas que desejam comprar.

Quando o assunto é economizar, as mulheres poupam mais que os homens em atividades como gastos com gás e eletricidade (70% contra 57%), compras de roupas novas apresentam 65% contra 46%, entretenimento fora da casa (65% vs. 57%) e troca de marcas de produtos de mercearia com melhor custo benefício (53% vs. 35%). Após cobrirem seus gastos essenciais, elas investem em itens para melhorias do lar e roupas novas, enquanto eles comprar novos produtos tecnológicos e pagam suas dívidas.

Ainda segundo a pesquisa, outro ponto importante é que as mulheres quando saem às compras de produtos como cremes para a pele, maquiagem, perfumes, whisky, vodka, tequila, rum, refrigerante alcoólico, cervejas, salgadinhos e refrigerante em lata, são mais fieis as marcas líderes do que os homens (19,3% vs. 16,3%).

O levantamento analisou também três pequenos grupos de produtos em destaque: Bebidas Alcoólicas, Mercearia e Itens de Beleza. Em bebidas, a penetração no mercado entre as mulheres e homens é quase a mesma, deferindo apenas o gasto e a frequência de compras, que são mais baixos entre elas. Já mercearia e itens de beleza, a mulher tem maior gasto e frequência de compra do que o sexo oposto.

Para cada um dos grupos de produtos, há consumidoras que apresentam características semelhantes, por isso, a pesquisa as classificou dentro desse cenário de consumo em três diferentes perfis: a despojada, a prática e a vaidosa.

A despojada - Representa 16,7% da população feminina e gasta 82% acima da média das mulheres com produtos de teor alcoólico e com uma frequência 60% maior. Ela tem de 36 a 55 anos e está localizada na Grande Rio de Janeiro e no Centro-Oeste. Prefere ir às compras no final de semana e de preferência, em supermercados de atacado. A cerveja e o vinho são as bebidas alcoólicas que ela mais consome. As mulheres deste grupo aumentaram o preço unitário do produto em 12%, enquanto os homens aumentaram em 9%. Uma grande oportunidade para esse público é a maior oferta de cervejas premium, uma vez que elas associam luxo, ocasião especial e modernidade a essa categoria.

A prática - Representa 56,4% da população feminina e gasta 23% acima da média das mulheres com produtos de Mercearia de rápido consumo, como salgadinhos e refrigerantes em lata, e com uma 21% maior. Ela tem de 13 a 18 anos e está localizada na Grande Rio de Janeiro, no Sul e no Interior de São Paulo. Costuma comprar mais no meio da semana e, de preferência, em supermercados. Chocolates são os produtos de mercearia que mais compram. Além disso, 16% delas consomem chocolate dentro do lar todos os dias, também sendo responsáveis pela compra para outros membros da família.

A vaidosa - Representa 36,4% da população feminina e gasta 48% acima da média das mulheres com produtos de Cuidado Pessoal, com uma frequência 17% maior. Ela tem de 19 a 35 anos e está localizada principalmente no Nordeste, Leste e na Grande São Paulo. Costuma comprar mais no meio da semana e, de preferência, nos canais porta a porta, perfumaria e farmácia. Ela também pode ser engajada por promoções bem efetuadas, levando, por exemplo, um shampoo maior com um condicionador menor. Neste caso, acredita que o shampoo acaba mais rápido, então, consegue perceber o custo benefício desse tipo de embalagem. Por questões de desembolso, esses kits são mais importantes para os níveis socioeconômico mais altos.

pesquisa, Nielsen, mulheres, cargos