Últimas Notícias

Publicidade
Publicidade
Pesquisa

Quatro em cada 10 mães passam menos de 10h por semana com os filhos

Estudo realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito em parceria com o portal Meu Bolso Feliz aponta que principal atividade compartilhada entre eles é assistir à TV

Por Bianca Ribeiro - 03/11/2015

Até chegar à idade adulta, normalmente os pais são os principais responsáveis pela criação dos filhos, sendo necessário tomar uma série de decisões que impactam diretamente na formação das crianças e adolescentes. Para saber como os valores estabelecidos pelas mães e o período de convivência incentivam e delimitam o consumo dos filhos, foi realizado um estudo pelo Serviço de Proteção ao Crédito em parceria com o portal Meu Bolso Feliz, 42% das mães consultadas admitiram passar menos de 10 horas por semana com seus filhos, e a principal atividade compartilhada entre eles é assistir à TV.

Por mais que a maioria das entrevistadas tenham seus filhos como prioridade (67,4%), quase um terço delas se culpa por não estarem tão presentes na vida deles. Outra questão levantada foi sobre a educação financeira dada aos rebentos. Seis em cada 10 (66%), falaram que têm conversas recorrentes sobre o assunto com as crianças e adolescentes. O conteúdo do que é conversado varia em função da idade e maturidade dos filhos. Entre seis e 11 anos a conversa sobre planos, sonhos e os motivos para economizar é mais comum do que nas demais faixas etárias. Já entre os adolescentes, as questões sobre a situação financeira da casa, os gastos e prioridades é mais recorrente do que nas demais idades.

O estudo também avaliou se os filhos desempenham algum papel no contexto familiar e na escola. A maior parte das entrevistadas (54,1%) acredita que a principal função dos filhos deve ser a de tirar boas notas no colégio, mas também são citados os trabalhos de colocar as roupas sujas em local adequado (53,7%), de arrumar a própria cama (53,0%) e de recolher os brinquedos depois de brincar (52,4%).

Três em cada quatro consultadas garantem que não há premiação ou recompensa para os pequenos quando as responsabilidades são cumpridas. Por outro lado, 42,9% aplicam algum tipo de castigo e 35,1% não adotam punição quando não são cumpridas pelas crianças. Os dados são de 843 mães das 27 capitais que possuem filhos com idade entre dois e 18 anos.

Mães, SPC, estudo