Últimas Notícias

Publicidade
Publicidade

Ibope traça potencial de consumo de todos os municípios brasileiros

Ferramenta traz informações divididas por grupos de produtos e classes sociais

Por Sylvia de Sá - 26/03/2010

As classes A e B representam 32% da população, mas absorvem juntas mais de 55% do consumo do país em todas as categorias, exceto alimentação. Esses são dados obtidos pelo Pyxis 2010, ferramenta do Ibope Inteligência que traz informações sobre o potencial de consumo. A novidade engloba todos os municípios brasileiros e divide os dados por grupos de produtos e classes sociais.

De acordo com o Pyxis, a classe A consome três vezes mais do que a sua presença na população, sendo que os produtos de maior consumo proporcional são malas, bolsas, cintos e brinquedos. Já a classe B consome o dobro do seu tamanho na população e compra em maior volume produtos de beleza, malas, bolsas, cintos, água mineral, sucos, refrigerantes, brinquedos e bebidas fermentadas.

Os produtos da classe C, cujo consumo é proporcional ao seu tamanho na população, são itens de mercearia, carnes e derivados, vestuário infantil e calçados femininos. As classes D e E, por sua vez, consomem menos do que sua participação na população em todas as categorias.

Quando se trata de alimentação no domicílio e produtos de higiene, os consumidores gastam valores aproximados em todas as regiões do país, R$ 1.419,00 e R$ 232,00 per capita em 2009, respectivamente. As maiores diferenças regionais ocorrem com bebidas, cujo consumo per capita médio é de R$ 98,00. A região que menos consome este produto é o Nordeste (R$ 47,75) e a que mais consome é o Sudeste (R$ 131,31).

Outro item de consumo com fortes diferenças regionais são os gastos com matrículas escolares. A média nacional é de R$ 248,00, no entanto, na região Norte, este valor é de apenas R$ 77,00, enquanto no Sudeste é de R$ 340,00. São Paulo é o estado onde há maior gasto com alimentação em domicílio e produtos para casa; os paranaenses são os que mais gastam com artigos de limpeza; os cariocas com bebidas; e os gaúchos com medicamentos.