Sonho de brasileiros gera o êxito da CVC 27 de abril de 2006

Sonho de brasileiros gera o êxito da CVC

         

Calcada na superação de expectativas de seus clientes e na busca por inovações, a CVC tornou-se a maior operadora de turismo do país na atualidade.

Publicidade
Amazon Prime Day

<p><strong>Sonho de brasileiros gera o êxito da CVC<br /><br /></strong>Por Fábio Storino<br />[email protected]<br /><br /><img style="border: #ff9900 3px solid" height="226" hspace="5" src="images/materias/case/foto_maior_cvc_01.jpg" width="150" align="left" vspace="1" border="0" />A revenda de pacotes de operadoras internacionais era a principal atividade das agências de turismo brasileiras no início da década de 70, quando a CVC foi criada. Inicialmente, a empresa – fundada na cidade de Santo André – era apenas uma agência de viagens no ABC paulista. Os seus primeiros resultados positivos vieram com a criação de grupos de viagem que atendiam, principalmente, a agremiações de funcionários das indústrias do ABC Paulista, inaugurando o conceito do Turismo de Massa, em 1978. Atualmente, a CVC é a maior operadora de turismo do Brasil e tem operações na Argentina e no Uruguai, com previsão de chegar, em breve, ao Chile. A empresa aposta no sonho de viagem dos brasileiros para ampliar o seu alcance.<br /><br />O desafio da CVC é satisfazer o cliente em sua primeira viagem para ganhar credibilidade e o incentivar a se arriscar mais na escolha de um próximo destino. “Viajar é investir em um sonho e os clientes sempre esperam que seja tudo perfeito. Temos que trabalhar para isso, mesmo sabendo que estamos sujeitos a imprevistos”, diz Guilherme Paulus (foto), presidente da CVC, ao Mundo do Marketing. “Procuramos sempre superar as expectativas com a máxima atenção dos receptivos, a qualidade de hospedagem melhor do que a esperada, as condições de pagamento favoráveis, o lançamento de novos destinos a cada ano e, fundamentalmente, manter o objetivo da viagem: a diversão”, completa.<br /><br />A carteira de clientes da CVC, em seus dez primeiros anos de existência, era formada por mais de 300 grêmios e associações no Brasil para o turismo rodoviário. A partir disto, surgiram os projetos cooperados, o primeiro deles firmado com a Empresa Amazonense de Turismo, com a Vasp e com a rede hoteleira, que conseguiu o suporte para a venda de grande quantidade de viagens a Manaus, Salvador, Fortaleza e Maceió. “Com o sucesso alcançado, continuei investindo nos cooperados e obtive muito sucesso ao consolidar parcerias com órgãos oficiais de turismo. O surgimento dos pacotes de viagem com transporte aéreo, ainda no início da década de 80, foi outro grande passo”, relata o presidente da operadora.<br /><br /><strong>Aposta na ousadia e na inovação</strong><br /><br />Com a criação de pacotes de viagem por meio do transporte aéreo, a CVC passou a apostar neste mercado e alçar vôos mais audaciosos, como no ramo de viagens internacionais. “Na década de 90, nos deparamos com outro desafio: fretar aviões para uso exclusivo de poucos passageiros. Foi aí que decidimos iniciar os primeiros vôos charters”, conta Paulus.<br /><br />A CVC, atualmente, não possui um perfil de cliente definido. Os pacotes da empresa atendem a todas as faixas etárias e classes sociais, com roteiros que vão de viagens de ônibus ou com o próprio carro até destinos no Leste Europeu. “Temos um contínuo programa de relacionamento através de campanhas de marketing direto. Além disso, temos um call-center de atendimento e pós-venda para monitorar e avaliar a satisfação dos clientes. Aproveitamos muitas de suas sugestões para os próximos roteiros e produtos”, explica o executivo como a empresa faz para conhecer os desejos de seus consumidores.<br /><br />A estabilidade econômica tem mantido o mercado de turismo aquecido e beneficiando a empresa. Com isso, a CVC anunciou pacotes com preços fechados até o Carnaval de 2007 e que trará cinco navios para fazer cruzeiros na alta temporada. “A economia tranqüila e o dólar em queda vêm favorecendo à demanda por cruzeiros e resorts, tornando os produtos mais acessíveis para uma camada da população que antes não tinha essa oportunidade”, afirma.</p><p align="center"><img style="border: #ff9900 3px solid" height="165" src="images/materias/case/foto_maior_cvc_02.jpg" width="220" border="0" /><br /><strong>A CVC estendeu a sua rede de lojas <br />com parcerias em que o cliente pode fechar <br />o seu pacote pela internet</strong></p><p align="justify">Inovar é uma característica da operadora de turismo, que criou o WebAgente – serviço que permite a qualquer agência de viagens do país disponibilizar o conteúdo da CVC em seu site. O sistema permite ao cliente fazer reservas e comprar pacotes em tempo real. A empresa tem a intenção de ter uma companhia aérea própria, tendo passado por todo o processo burocrático e de documentação do Departamento de Aviação Civil. “Posso adiantar é que não é nossa intenção vender passagens para vôos regulares. Nossa companhia aérea somente irá atender os fretamentos dos nossos pacotes de viagem”, descreve a nova empreitada Guilherme Paulus.<br /><br /><span class="texto_laranja_bold">Acesse</span><br /><a href="http://www.cvc.com.br/" target="_blank">www.cvc.com.br</a></p>


Publicidade