Sem medo da Concorrência 7 de janeiro de 2010

Sem medo da Concorrência

Publicidade
Amazon Prime Day

<p style="text-align: center"><img alt="" width="256" height="256" src="/images/materias/spell-brasil-tux-6275.png" /><img alt="" width="256" height="256" src="/images/materias/spell-brasil-tux-6275(1).png" /></p> <div style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">Como estou no Brasil e deverei ficar até o final do mês, meus posts devem abordar o que vejo por aqui como tema. </span><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">Logicamente todos os dias descubro muitas coisas que me chamam a atenção (positivas ou não) que são de toda forma enriquecedoras. </span></div> <div style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"><b><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">Uma delas é a falta de medo do outro</span></b><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">. Estou acostumada a participar de um mercado extremamente vigilante e preocupado na Europa. Por ser um mercado saturado, por falta de espaço físico, para sobreviver anos dentro de nomes míticos e construir uma forte imagem de marca, a concorrência faz parte da lista <b><i>inimigos mortais </i></b><i>da empresa<b>.</b></i> E isto é levado a sério até a última consequência.</span></div> <div style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">Nas empresas lá fora, preciso saber tudo do meu <b>inimigo mortal – </b>posicionamento, segredos, análise de suas ações, do mercado, do seu desenvolvimento dos produtos, enfim, acompanho <strong>cada passo como se acompanhasse um bebê em crescimento</strong>. Conhecer meu concorrente é tão fundamental como fazer um planejamento anual da minha empresa.  </span><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">E as empresas não fazem isso para copiar (o que infelizmente às vezes vejo muito por aí), mas para saber como <b>agir, o porquê, quando, como, onde e o que desenvolver. </b></span></div> <div style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">Estive em várias lojas aqui no Brasil, procurando algo que não encontrei e fui aconselhada a buscar o mesmo produto no concorrente <b><u>pelos próprios funcionários!</u></b></span></div> <div style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"><b><u><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">Maturidade ou falta de experiência?</span></u></b></div> <div style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">Creio que pode ser uma mistura dos dois. De um lado, temos um mercado interno farto, em expansão. Nossa <b><i>generosidade brasilis </i></b>extrapola a cordialidade que nosso país faz fama pelo mundo. Somos cordiais mesmo com nosso concorrente que vende o mesmo produto. Dividimos até nossos segredos, fornecedores, clientes, enfim, parece tudo da mesma empresa com caixas separados. Não sou contra, mas não estou habituada. Venho de um mercado rançoso, onde <b>o que é meu é meu, o que é teu vou tentar conquistar.</b></span></div> <div style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">Atitude esta, que pode até ser algo bacana no Brasil, mas me preocupa um pouco.</span></div> <div style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">A concorrência externa que ainda não está presente em nosso país, não vai demorar a se instalar (tenho participado de muitos Fóruns para impressas internacionais na Europa sobre o tema). O Brasil foi nomeado por muitas, até em manchetes, como o novo “Eldorado do Mundo”. Não preciso falar muito, basta olharmos para o lado e notaremos quantas empresas estrangeiras estão se instalando no Brasil…</span></div> <div style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">Adaptar-se ao jeito brasileiro é bem mais fácil e atraente que adapatar-se aos chineses, indianos e russos… Até porque, na verdade, muitas vezes quem se adapta somos nós e nossa eterna <b><i>generosidade brazilis. </i></b>E ainda de quebra, o brasileiro adora consumir…</span></div> <div style="text-align: justify; margin: 0cm 0cm 10pt"><span style="line-height: 115%; font-family: 'Verdana','sans-serif'; font-size: 10pt">Posso garantir que eles não demorarão a fazer "cara de amigo bonzinho" até polidamente conquistarem o que querem e creio que ficarei muito surpresa se um dia eles indicarem a empresa da frente para um cliente na falta de um produto. </span></div>


Publicidade