Saraiva busca a reinvenção do seu negócio para não morrer 24 de agosto de 2011

Saraiva busca a reinvenção do seu negócio para não morrer

         

Rede aposta na digitalização dos produtos que vende

Publicidade
Prime Day Amazon

<p>A Saraiva sabe que precisa se reinventar todos os dias porque o seu negócio foi posto à prova com a digitalização de parte dos principais produtos comercializados há 97 anos. Livros, CDs, DVDs e Games estão sendo cada vez mais vendidos em formatos digitais. Este cenário está no horizonte da empresa desde 2008, quando o CEO da companhia, Marcilio Pousada, visitava os Estados Unidos e via as lojas da Blockbuster fechando e do outro lado da rua surgindo uma Apple Store com fila na porta.</p> <p>Os produtos que eram vendidos em formato físico agora são comercializados e entregues via lojas virtuais e aplicativos para tables, smartphones e iPod. “Isso traz vários desafios para o nosso negócio, que pretende durar pelo menos mais 97 anos”, afirma o CEO da Saraiva durante palestra no Digitaling, Fórum Internacional de Varejo Digital. Que o diga a Amazon: de suas 10 categorias em destaque, as sete primeiras vendem produtos digitais. “Uma parte substancial do nosso negócio também será digital”, conta Marcilio Pousada.</p> <p>Hoje, as vendas virtuais da Saraiva já representam 38% de todo o seu faturamento, incluindo quase uma centena de lojas físicas. A transformação da empresa pelo e-commerce começou em 1998. Mas foi apenas em 2007 que a companhia viu que precisava se reinventar. Naquele ano, a rede criou o Saraiva Digital, um serviço de revelação de fotos digitais que chega a produzir dois milhões de imagens por mês.</p> <p>Já em 2009, a marca lançou a venda de filmes digitais e hoje tem um acervo de mais de quatro mil títulos, que podem ser baixados também por televisões da LG e para o iPad. Na categoria de livros, a Saraiva comercializa desde o ano passado 244 mil obras digitais. Em 2010, a empresa criou um aplicativo para realizar essas transações e hoje a ferramenta é a quarta mais baixada na APP Store.</p> <p>Este é o foco da empresa. Vender serviços que não têm em estoque. A meta é chegar até 2020 com estas categorias representando 10% do faturamento. Dentro deste modelo está a venda de passagens aéreas e pacotes turísticos, com a Saraiva Viagens, cursos online, seguro, garantia estendida e uma novidade: a Saraiva Esportes. Por meio de uma parceria com a NetShoes, a marca passa a vender artigos esportivos dentro das próximas semanas.</p> <p style="text-align: center"><img alt="Saraiva busca a reinvenção do seu negócio para não morrer" width="600" height="280" src="/images/materias/saraiva.jpg" /></p>


Publicidade