Reportagens

Publicidade
Publicidade
Promoção e Eventos

Couromoda abre temporada de vendas na indústria de calçados

Feira é responsável por 25% das negociações realizadas durante o ano

Por Sylvia de Sá - 19/01/2011

Couromoda abre temporada de vendas na indústria de calçadosA 38ª edição da Couromoda vem confirmar o potencial do mercado brasileiro de calçados, artigos esportivos e artefatos de couro. A principal feira do setor na América Latina é, também, a segunda maior do mundo, ficando atrás apenas da italiana Micam. O evento, iniciado nesta segunda-feira, dia 17, e realizado até amanhã, dia 20, é não apenas um importante canal de negócios, mas também uma vitrine do setor.

Nascida há 37 anos no Rio de Janeiro, atualmente a feira é realizada no Anhembi, em São Paulo. De lá para cá, a evolução do evento, que começou com 43 expositores e hoje conta com mais de mil espalhados pelos 51 mil m² de stands, foi resultado de uma estratégia com ações pontuais junto à indústria de calçado e varejo para manter o nome Couromoda sempre lembrado.

Entre os investimentos está também o portal de notícias lançado há 10 anos, que hoje conta com dois milhões de acessos por mês. Há ainda o jornal da Couromoda, com três edições anuais, outro canal de relacionamento e ponto de contato entre indústria e varejistas.  O planejamento inclui ainda seminários de moda, que trazem assuntos técnicos do setor para quem busca atualização e uma revista internacional, lançada há dois anos, nas versões inglês e espanhol, para levar informações sobre os produtos brasileiros a grandes compradores do exterior.

Exportações cresceram 9,3% em 2010
O desenvolvimento da Couromoda ao longo dos anos acompanha a expansão do mercado. Em 2010, a estimativa é de que tenham sido produzidos 858 milhões de pares, segundo informações da Abicalçados (Associação Brasileira da Indústria de Calçados). O número representaria um crescimento de 5,5% em relação a 2009, quando foram fabricados 814 milhões de pares de calçados.

Os produtos brasileiros também estão na mira dos compradores internacionais. Em 2010 foram exportados 143 milhões de pares, um aumento de 12,9% no volume comparado a 2009. Já o faturamento em exportação cresceu 9,3% no período, passando de US$ 1,3 bilhão em 2009 para US$ 1,48 bilhão no ano passado.

Neste cenário, a Couromoda desempenha um papel fundamental. “A feira tem uma importância estratégica. Ela é realizada duas semanas depois das vendas de fim de ano, com o comércio desabastecido, precisando repor vitrines e comprar coleção nova. A Couromoda marca a retomada da atividade no setor. Cerca de 25% das vendas totais do ano acabam sendo fechadas na feira”, diz Ana Jussara Leite, Diretora de Comunicação da Couro Moda, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Couromoda abre temporada de vendas na indústria de calçadosCanal de negócios e vitrine para lançamentos
Com a retomada do setor no início do ano, a Couromoda é a oportunidade que a indústria tem para apresentar seus lançamentos e despertar a atenção dos varejistas. “O mais importante é que a Couromoda é a grande vitrine. Por mais que não efetuem a venda, os lojistas conhecem a coleção. O evento é o start para outras ações comerciais que acontecem ao longo do semestre”, explica Diego Capel, Gerente de Marketing da Klin, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Há 27 anos no mercado, a marca de calçados infantis participa da feira desde o começo de suas atividades e aproveita o momento para lançar a coleção outono/inverno 2011. “A Couromoda é bastante comercial. A Klin não tem lojas próprias. No stand, os visitantes conhecem a coleção, são atendidos pelos representantes e veem o que os pontos de venda disponibilizarão para o consumidor”, conta o Gerente de Marketing da marca, que recebe cerca de quatro mil lojistas em seu espaço a cada ano.

Além da Klin, entre os mais de mil expositores da Couromoda estão marcas como Arezzo, Ana Hickmann, Calvin Klein, Capodarte e Dumond. Há ainda os produtos licenciados de marcas como Disney e Mattel. Esta última leva para a Couromoda produtos Barbie e Hot Wheels por meio das marcas Grendene, Santino e Primicia.

Feira deve injetar R$ 100 milhões em SP
Para os expositores o foco está nas ações de caráter informativo. Para apresentar os lançamentos, as empresas disponibilizam materiais de comunicação e equipes treinadas para auxiliar e esclarecer as dúvidas dos lojistas, que representam cerca de 30 mil empresas compradoras. A expectativa é que os quatro dias de evento reúnam aproximadamente 70 mil visitantes, um crescimento de 6% a 7%, em relação à última edição.

Couromoda abre temporada de vendas na indústria de calçadosA estratégia da Couromoda mantém-se constante nos últimos anos. Previamente, há comunicação dirigida para que a indústria fale diretamente com o comprador. Já nas semanas que antecedem o evento, a aposta são as campanhas de mídia em jornais e rádios para consolidar a comunicação e informar a comunidade sobre a existência da semana de moda em São Paulo.

“O movimento da feira impacta diretamente a economia da cidade. Milhares de pessoas se hospedam, compram, comem. A estimativa é de que sejam injetados cerca de R$ 100 milhões na economia de São Paulo durante o período. Por isso, precisamos fazer com que os moradores entendam a importância da feira de negócios para a cidade”, conta a Diretora de Comunicação da Couro Moda.

Prêt-à-Porter é novidade este ano
Já no evento, um grupo de lojistas formado por grandes compradores recebe tratamento diferenciado e tem acesso a um espaço exclusivo. O Clube Vip é aberto também aos compradores internacionais, que contam ainda com um catálogo específico de todas as empresas que expostam e informações a respeito. De modo geral, todos os visitantes recebem também um catálogo sobre o evento e um mapa de expositores.

Para se destacar, as marcas participantes – que representam 90% da indústria de calçados – investem em desfiles e materias de comunicação. A novidade deste ano, no entanto, é o lançamento da São Paulo Prêt-à-Porter (SPPP) – Feira Internacional de Moda, Confecções e Acessórios, ontem, dia 19. O evento abre a temporada brasileira de moda ao lado da Couromoda, conta com 300 marcas expositoras edição e espera receber 15 mil pessoas já nesta primeira edição.

“As duas feiras acontecem ao mesmo tempo, aproveitando a sinergia natural entre sapato e roupa. A ideia é criar um novo foco de negócios, com marcas expositoras que tenham a mesma proposta da Couromoda para aproximar a indústria do lojista. Juntas, esperamos que as duas feiras criem uma grande semana de negócios para os setores de moda, calçados e confecções”, ressalta Ana Jussara.