Reportagens

Publicidade
Publicidade
Promoção e Eventos

Bienal do Rio como estratégia de Marketing

Evento reúne 950 expositores, espera 600 mil visitantes e vender 2,5 milhões de livros entre os dias 10 e 20 de setembro

Por Sylvia de Sá - 06/08/2009

Bienal do Rio como estratégia de MarketingA Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro chega à sua 14ª edição e prova que o evento é uma grande oportunidade para que as editoras se aproximem dos consumidores e apresentem seus lançamentos. Além de manter os visitantes em contato com os livros, autores e estimular o hábito da leitura, a feira também funciona como uma grande ação de Marketing.

Editoras de todos os segmentos investem no evento com ações variadas que vão desde lançamentos e tardes de autógrafos a promoções, sorteios e preços especiais. Um dos destaques desta edição são os 40 anos de Flicts, primeiro livro de Ziraldo. Para comemorar, o pai do Menino Maluquinho marca presença na Feira.

A primeira edição da Bienal Rio aconteceu em 1983 no Copacabana Palace. O evento atraiu 45 mil pessoas, reunindo 86 editoras em apenas 1.400 m2. Na edição seguinte, em 1985, o evento passou para o estacionamento do São Conrado Fashion Mall, com o dobro da área, 136 expositores e 80 mil visitantes. Em 1987, a Bienal foi transferida definitivamente para o Riocentro.

Case de sucesso
Na época, a feira ocupava menos da metade de um pavilhão de exposições. Realizada em 2007, a última edição contou com 950 expositores e 600 mil visitantes, indicando um caso de sucesso e o amor dos cariocas pelos livros. Para este ano, a expectativa é a mesma.

“Esperamos receber 600 mil visitantes ao longo de 11 dias de evento. Nosso objetivo não é crescer em número de visitantes, até porque manteremos o mesmo espaço físico, mas sim oferecer a cada edição uma programação cultural de alta qualidade”, explica Andreia Repsold, vice-presidente da Fagga Eventos, que organiza a Bienal Rio ao lado do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel), em entrevista ao Mundo do Marketing.

Bienal do Rio como estratégia de Marketing

Assim como na última edição, a Fagga e o Snel esperam vender 2,5 milhões de livros entre os dias 10 e 20 de setembro, quando acontece a feira. Com um investimento de R$ 24 milhões, os organizadores esperam faturar R$ 44 milhões, 5% a mais do que em 2007. A promoção de uma Bienal é capaz de mexer com toda a cidade, como indica Breno Lerner, diretor geral da Editora Melhoramentos, responsável pela edição de Flicts.

“Hoje, uma boa livraria é uma Bienal do Livro. Toda produção está lá dentro todo o dia. O que faz as pessoas saírem da Zona Sul ou da Zona Norte para o Rio Centro é o enorme clima que se cria na cidade para dizer que esta é a semana para ver os autores e os novos livros”, diz Lerner ao site.

Programação cultural recebe investimento de R$ 1,7 milhão
Somente a programação cultural recebeu um investimento de R$ 1,7 milhão, 30% a mais do que em 2007. A proposta é oferecer aos visitantes de todas as idades e perfis novos espaços e uma grade de atrações mais diversificada e dinâmica. “Uma das características principais do evento é a inovação. Para a Bienal 2009, renovamos toda a programação cultural e trouxemos especialistas para cuidar da curadoria de cada atração. Teremos espaços para todos os públicos e idades”, comenta Andréia, da Fagga Eventos.

Este ano a Bienal continua com o tradicional Café Literário. Já as novidades ficam por conta dos espaços Mulher & Ponto!, com sessões de debates com autores sobre temas sob a perspectiva feminina, e Livro em Cena, onde artistas recitarão trechos de obras de escritores brasileiros.

Já o público infantil poderá se divertir na Floresta de Livros, um espaço cenográfico de 800 metros quadrados. O local é patrocinado pelo Instituto Pró-Livro e mistura informação e entretenimento de forma lúdica, sob a curadoria de João Alegria, diretor e roteirista da TV Futura.

Bienal do Rio como estratégia de MarketingZiraldo é símbolo da Bienal
Para os profissionais de Marketing também não faltam opções. A editora Campus-Elsevier segue o ritmo do primeiro semestre, quando lançou 40 livros sobre Marketing e Negócios, e pretende lançar até o final do ano pelo menos outros 50 títulos. Para 2009, a editora espera um crescimento de 10%. Entre os títulos que serão lançados na Bienal, está o livro As Intrépidas Aventuras de um Jovem Executivo, de Daniel Pink. A publicação é o primeiro mangá de negócios do Brasil.

Mesmo com os holofotes direcionados para as editoras e os autores de interesse geral, o Grupo Editorial Nacional (GEN) aproveita a oportunidade para apresentar seus lançamentos e obras mais vendidas aos profissionais de diversas áreas. Com um investimento de R$ 100 mil, o GEN levará títulos de áreas como saúde, jurídica, engenharia, química e administração.

Uma das maiores apostas das editoras para a Bienal é a presença dos autores, que autografam suas obras e se aproximam dos leitores. Além de comemorar os 40 anos de Flicts, o escritor e desenhista Ziraldo apresenta nesta edição seu novo livro: "Uma Menina Chamada Julieta". Recordista de filas da Bienal, Ziraldo já foi até tema de um documentário sobre pessoas que todos os anos se repetiam nas filas para pegar um autógrafo do escritor. “O Zirado é associado às feiras de livro de todo o Brasil, especialmente no Rio e em São Paulo. Existe uma verdadeira idolatria por seus textos que passa de geração para geração”, diz o diretor geral da Melhoramentos.

Editoras apostam em sessões de autógrafos
Outra editora que aposta na presença de um autor é a Paz e Terra. Durante a Bienal, Tim Winton, autor de "Fôlego", falará sobre o sucesso internacional de vendas. A proposta da editora é lançar também outra obra do autor, "The Riders", ainda em fase de preparação. Para promover "Fôlego", Winton participará da programação cultural da feira e autografará livros no estande, que sorteará pranchas de surf.

Já a editora Planeta preparou um estande que irá contar com um lounge para receber os clientes. A promoção dos lançamentos ficará por conta de uma exposição diferenciada, em vitrines inspiradas nas grandes joalherias, com iluminação interna. Para esta edição da Bienal, foi desenvolvida uma nova logomarca que estará em toda sua campanha. A identidade visual repaginada procura traduzir uma linguagem pop e de cores fortes, que unem a cultura e o entretenimento presentes na feira. A 14ª edição da Bienal também está sendo promovida em redes sociais como o Orkut, o Facebook e o Twitter (twitter.com/bienaldolivro), a partir de ações desenvolvidas pela agência TV1.Com.
 

Veja a história das logomarcas desde a primeira edição.
 

 

 Bienal do Rio como estratégia de Marketing