Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Reportagens

Especial Marketing Esportivo
Investimento criativo e com interatividade

Empresas mostram novos rumos para o investimento

Por | 28/11/2008

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Por Thiago Terra
thiago@mundodomarketing.com.br

Em momentos de crise, a criatividade sempre foi um divisor de águas para muitas empresas e dela nascem, até hoje, grandes soluções para questões que parecem irreversíveis. O Marketing Esportivo, assim como outros segmentos, passa por um período onde empresas e empresários preferem esperar para ver o tamanho do problema que caminha junto coma crise financeira mundial.

Com medo de perder verba, tempo e prestígio por conta da crise na economia, anunciantes, veículos e agências não vêem outra saída se não a união de todos na busca por soluções criativas, com o objetivo de encontrar novos rumos de investimentos em Marketing Esportivo.

ESPN, TV Esporte Interativo e Caixa Econômica Federal são algumas das empresas que enxergam o momento atual da economia como uma oportunidade para usar a criatividade como diferencial em um mercado disputado como o esporte, onde o detalhe decide o futuro tanto dentro, quanto fora das quatro linhas.

Criatividade radical
Com foco nos Estados Unidos, é inevitável pensar que a ESPN, empresa que está no guarda-chuva da Disney, não entrará no centro do furacão econômico da América do Norte. A nova realidade financeira do mercado ligou o alerta na ESPN por conta da possibilidade de redução na verba. "Precisaremos de criatividade para reter os anunciantes através de ajustes e novas soluções para investimentos. Em momento de crise é melhor acelerar", avalia Marcelo Pacheco, Diretor Comercial da ESPN.

Acelerar não é uma metáfora para a ESPN com relação à economia. A empresa comemora o resultado de mais uma edição do X-Games, que aconteceu pela primeira vez em São Paulo este ano. Sempre amparado por uma parceria forte, o evento de esportes radicais foi criado há 14 anos com o objetivo de ser o maior do planeta. Já foram mais de 40 edições até hoje e entre os esportes radicais praticados nestes anos. Rally, Surf e Skate são os mais populares.

O X-Games cresceu e apareceu para o mundo todo e hoje é realizado em oito países, com participação de mais de 500 atletas e um investimento que ultrapassa US$ 200 milhões e atinge cerca de 110 milhões de telespectadores no Brasil. Números que resultam em contratos de patrocínio.


X Games Brasil apresentou esportes radicais e foi sucesso de público em São Paulo

Conexão através de interatividade
A ativação dos patrocinadores do X-Games é feita através de ações envolvidas que dão visibilidade à marca. "O AmPm oferecia a alimentação dos participantes, o Guaraná Antarctica desenvolvia ativações da marca, a Honda fez test-drive de motos e a Oi ofereceu tecnologia. Além disso havia a transmissão ao vivo do evento em salas de cinemas no Rio de Janeiro", afirma Marcelo Pacheco.

A proposta de conectar-se com o usuário em diversos canais é o que move a TV Esporte Interativo. Esteja o mercado frio ou quente, é preciso saber o que o público gosta de fazer no seu dia-a-dia oferecendo conteúdo interativo baseado na simplicidade.

O conceito de interatividade pode estar ligado à tecnologia, mas não para a TV Esporte Interativo. "A definição de interativo não diz nada sobre tecnologia. Não adianta dominar uma tecnologia de ponta que o público não tem acesso. Mas, se você for criativo ela ajudará", diz Carlos Moreira, sócio-fundador e diretor executivo da TV Esporte Interativo.

Relacionamento e patrocínio para atletas especiais
A Caixa Econômica Federal (CEF) desenvolve ações de patrocínio ao esporte paraolímpico brasileiro e contribui com responsabilidade, compromisso e inclusão social, além de agregar valor à marca através de saúde, educação e rejuvenescimento de marca e Marketing de Relacionamento.

O Programa Loterias Caixa é o principal modelo de patrocínio para os atletas paraolímpicos. "Oferecemos bolsa para 16 atletas de alto nível e três atletas-guia, além das ações de relacionamento e outros patrocínios relacionados ao tema", explica André Luiz Lopes, Gerente de Marketing Esportivo da CEF.

As ações de relacionamento são desenvolvidas com sessão de autógrafos em agências do banco, palestra motivacional em universidades, almoço com a imprensa, ações em escolas, jantar de relacionamento com clientes especiais entre outras. "Isto reflete em alta geração de mídia espontânea. O retorno deve ser proporcional ao sucesso do patrocínio, que é como uma parceria", completa Lopes.





Comentários


Publicidade

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss