Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Reportagens

Caça à disrupção: uma busca muito mais interna do que se imagina

Na ânsia por inovação, executivos vem desejando uma receita de como surpreender consumidores. Cultura e valores da própria empresa podem ser a solução

Por | 09/10/2017

priscilla@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Cristiano Fonseca, Gerente de Marketing para Google Partners BrasilA inovação é uma meta perseguida por grande parte das companhias que buscam se destacar frente à concorrência e conquistar um lugar de destaque junto ao consumidor. Para se chegar a ela exige muito mais do que criatividade nas ações - é preciso estar atento às tecnologias e como elas podem aproximar a marca ao público. A disrupção passou a ser desejo, mas muitos gestores sequer sabem por onde começar para tê-la.

Essa caçada tem motivo: oito em cada 10 brasileiros acreditam que a inovação abre a mente humana e 97% concordam que ela é essencial para ajudar a progredir, segundo dados do levantamento The Earned Brand, realizado pela Edelman. Chegar a um fator que surpreenda, no entanto, não é tão fácil e nem possui receita como um bolo.

Ouvir as novas gerações e fazer um brainstorm dentro da companhia ou com pessoas do mercado já ajuda nesse processo. "Existe muita dúvida em relação a aplicação de soluções que efetivamente envolva a satisfação do cliente, mas vejo que hoje os gestores estão mais abertos para trocas entre si, sem vergonha de afirmar que não sabem ou que precisam de orientação", conta Cristiano Fonseca, Gerente de Marketing para Google Partners Brasil, em entrevista ao Mundo do Marketing.

De dentro para fora
Durante o fórum Partners Academy CXO — Customer Experience Officer, realizado pelo Google, agências de Marketing parceiras do Google foram convidadas a pensarem o modelo de negócio por meio de outros aspectos, envolvendo os temas Pessoas, Processos e Soluções. Os palestrantes falavam não apenas da aplicação de produtos Google, mas também de assuntos relacionados à rotina de trabalho e boas práticas em gestão.

Apesar do conhecimento em ferramentas da companhia global - já que para fazer parte do Google Partners precisam obter certificados Google -, os participantes tiveram um exercício de pensar a inovação olhando pra dentro da empresa, antes de pensar no consumidor. "Dividimos valores do Google que deram certo para nós e fizemos um exercício de reflexão para que eles encontrassem internamente na corporação deles soluções que fizessem sentido para eles", afirma Fonseca.

Um dos temas apresentados no evento foi "Pessoas felizes e satisfeitas produzem no ambiente de trabalho", narrando e citando exemplos de como a cultura organizacional e valores impactam nos resultados. "Foi perceptível o interesse dos executivos sobre esse assunto, porque há uma mudança ocorrendo na vida dos consumidores a respeito de tecnologia, mas principalmente também há transformações ocorrendo nas necessidades humanas dos profissionais", pontua o Gerente de Marketing do Google.

Millennials
A chegada dos Millennials ao mercado de trabalho vem impactando na forma tradicional de uma corporação viver. Mais conectados, eles conseguem resolver tudo por meio de um smartphone e buscam flexibilidade. "Os jovens estão menos hierarquizados, é algo natural deles, porque é uma consequência da realidade que vivemos hoje. Outros mercados exigem estruturas rígidas, então não existe o certo ou o errado. Existe o que funciona para uma empresa ou não", afirma Fonseca.

Para se ter uma ideia da transformação que esse grupo causa hoje, 60% dos Millennials procuram empregadores com um propósito claro, segundo dados da Best Global Brands 2017. Essa geração valoriza a experiência, o compartilhamento e acreditam que o resto do mundo está em seus quintais. Eles estão sendo capazes de influenciar outras gerações com seus comportamentos e estão transformando o mercado ao impor a sua própria a lógica.

Sua facilidade de entendimento de novas ferramentas é um ponto forte, já que constantes soluções chegam ao mercado. "Existe uma certa dificuldade de adaptação de gestores mais tradicionais à inovação ou de pensar nela como um produto específico. As novas gerações entendem e pensam mais rápido tudo isso e sabem transitar entre uma novidade e outra de forma natural", diz o Gerente.

Na caça à disrupção, o segredo está muito mais em ouvir do que agir. "O ponto mais alto com certeza foi ver os executivos dialogando e tentando chegar a um denominador que funcionasse para si, sem competitividade e com muita atenção. Cada um deles sabe o valor dos riscos que possuem e acabam aprendendo com o outro nessa troca", conclui Cristiano Fonseca.

Leia também: Tecnologia no Marketing exige novo perfil profissional - estudo do Mundo do Marketing Inteligência.

Comentários


Acervo

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2015.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2017. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss