Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Reportagens

Novos conceitos e práticas de marketing

O crescimento do marketing freqüentemente cria novos campos de atuação e especialidades na área

Por | 13/09/2006

bruno@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Novos conceitos e práticas de marketing

Por Mariana Oliveira
redacao@mundodomarketing.com.br

O crescimento do marketing tem se refletido nas mais diversas formas na relação entre as empresas e os consumidores, mas também na crescente especialização dos profissionais e das áreas desta disciplina. Dentre as estratégias e os campos podemos contar quase 20 derivações, como Marketing Cultural, Marketing Esportivo, Marketing Ambiental, Marketing de Relacionamento, Marketing Viral, Endomarketing - que inclusive foi registrado -, entre outros. Duas destas áreas têm se destacado pela inovação e obtêm cada vez mais espaço no mercado.

A partir de características peculiares numa determinada área, surgem outras categorias com a intenção de se diferenciar e se aprofundar no assunto. Edu Oliva, membro da ADVB - Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil - e consultor de Marketing, observa esta tendência como conseqüência da necessidade das pessoas destacarem as particularidades de uma área e segmentar as responsabilidades.  "O importante é que as pessoas tenham bom-senso e saibam o que é o marketing para utilizar suas ferramentas", ressalta ao citar o Marketing Industrial, Comercial, de Serviços, Eventos, Pessoal entre outras vertentes e explicar que estes, por sua vez, podem se subdividir em outras categorias.

No Brasil desde 2000, a Biomist é pioneira em marketing olfativo. Este conceito cunhado no exterior têm tido sucesso também no mercado brasileiro. Júlio Yoon, Diretor da empresa, conta ao Mundo do Marketing que a idéia de criar campanhas olfativas surgiu partindo de pesquisas onde se notava que as fragrâncias interferiam no comportamento do consumidor. "Com base nestes resultados foi natural a procura por estratégias que fizessem com que as empresas explorassem o olfato como uma ferramenta de marketing", informa.

Ele explica que a utilização de aromas pode atuar como fator de crescimento das vendas. "Com o marketing olfativo pode-se criar uma verdadeira campanha, envolvendo não apenas a aromatização de ambientes, como também de materiais impressos, assim como cartões de visitas, folders, catálogos, camisetas", explica. "Isto permite estar junto aos consumidores em vários momentos. Fica por conta de o marketing olfativo criar um ambiente requintado, aconchegante e até temático, sinalizando aos consumidores que existe uma diferença positiva na marca", garante.

Conferindo valor às pessoas
Outra derivação polêmica é o marketing pessoal, que para muitos profissionais significa apenas utilizar estratégias para vender uma pessoa como produto, seja ela um candidato a emprego ou à Presidência da República. Mário Persona, consultor e professor de comunicação e marketing, explica que esta área se preocupa em ajudar as pessoas a obterem maior sucesso em sua vida pessoal, nos relacionamentos e no trabalho. "É uma forma de você agregar valor a si mesmo por meio de uma observação sistemática do ambiente onde você atua, das expectativas que as pessoas têm de você e da melhor maneira de atender a essas expectativas com um comportamento adequado", elucida em entrevista ao site.

Persona enfatiza que todos que têm contato na formação da imagem de um indivíduo são responsáveis, de algum modo, pela construção do marketing pessoal, desde o dentista que pode oferecer dentes mais brancos e alinhados para "sair bem na foto" até uma professora que fornece conhecimento útil na profissão desempenhada.

Ele afirma que as pessoas devem perceber que os clientes no marketing pessoal são todas as pessoas com as quais interagimos. "Não dá mais para separar amigos, colegas, família, etc. Todos eles podem acabar se falando em algum momento e trocar experiências ou impressões a meu respeito. Já que todas as pessoas são meus clientes", diz. "Comportamento e atitude valem ouro", completa.

Trabalhar com pessoas pode ser mais complexo do que com produtos. "É mais difícil desenvolver uma estratégia de marketing pessoal do que fazer o mesmo com uma empresa, marca ou produto. Uma estratégia errada de marketing de produto pode ocasionar prejuízo, mas sempre existe a possibilidade de a empresa lançar um modelo aprimorado ou criar uma nova marca, uma nova linha, fazer um recall caso não atenda as expectativas ou tenha sido distribuído com defeito", explica. "Com pessoas não é possível. Uma vez que você tenha queimado o filme no ambiente onde atua, fica difícil relançar o produto, já que o produto é você", conclui.

Acesse
www.biomist.com.br
www.mariopersona.com.br

Comentários


Acervo

Publicidade

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss