Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Reportagens

Como fazer marketing sem gastar quantias exorbitantes

Consultores, clientes e agências apontam caminhos para realizar ações eficientes a custos reduzidos

Por | 25/08/2006

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Como fazer marketing sem gastar quantias exorbitantes

Por Mariana Oliveira
redacao@mundodomarketing.com.br

Grandes empresas costumam destinar quantias elevadas ao orçamento de marketing, englobando ações integradas que vão desde a publicidade em meios de comunicação de massa a estratégias de fidelidade e promoção do produto. Entretanto, mais do que nunca, grandes empresas se valem do exemplo de estratégias amplamente utilizadas por empreendimentos de médio e pequeno porte para otimizar gastos e continuar apresentando resultados positivos.

Recentemente a SulAmérica Seguros uniu os setores de vendas e marketing criando um departamento único, a Vice-Presidência de Vendas e Marketing. Em entrevista ao site, Zeca Vieira, Diretor de Marketing Corporativo, explica que o objetivo foi otimizar metas comuns. "Estávamos conscientes de que existia uma sinergia muito grande entre as duas áreas que poderia ser otimizada se existisse um só comando. Afinal, o que se deseja dos esforços de marketing? Mais receitas vindas do crescimento de vendas, é claro", conta.

Ações simples como esta podem ter um alcance maior, refletindo nos funcionários e suas motivações e principalmente na otimização das etapas de trabalho e dos gastos. Com experiência em consultoria para pequenas e médias empresas, o sócio-diretor da Agência de Marketing, Alessandro Basile (foto), aponta a projeção das necessidades e objetivos como primeiro passo. "Tudo começa com um bom planejamento", enfatiza. Para ele, é imprescindível delinear quem são os consumidores e o público-alvo, através de que tipos de informação eles se comunicam com a empresa e quais são as finalidades que guiarão as ações do empreendimento.

Algumas soluções
Basile relata ainda que "um plano míope pode implicar em desperdício". Ele acrescenta que, na maioria das vezes, os problemas de marketing são problemas estratégicos, resolvidos após o entendimento da conjuntura. O Sócio-Diretor da Agência de Marketing garante que o segredo é investir pouco num conjunto de ações orquestradas e voltadas a um objetivo. "Sites, newsletters, feiras, palestras são pequenas ações que constituem um todo", explica.

Ruy da Costa Quintans é consultor na área de Finanças Corporativas e professor do Ibmec - RJ. Ele destaca a definição estratégica como prioritária e acrescenta que apenas a partir deste ponto pode-se criar soluções alternativas. Para Marcelo Ermini, Vice-Presidente do POPAI Brasil e consultor de trade marketing, ampliar os investimentos no Ponto de Venda é uma saída que sempre apresenta bons resultados. "No PDV ocorre o momento de decisão de compra do consumidor e as empresas não podem abrir mão disso", garante. Ermini salienta que é necessário trabalhar direcionado, fazendo uma análise profunda da concorrência e das necessidades do empreendimento.

Por outro lado, Quintans reafirma a importância dos consumidores ao destacar o marketing de relacionamento como alternativa eficaz. "As empresas podem objetivar o marketing através do cliente, afinal, ele é um dos melhores canais de marketing", conclui.

Zeca Viera, da SulAmérica, informa que há uma preocupação da empresa com o aumento do volume de vendas e em direcionar a otimização da verba de marketing para este objetivo. Por isso algumas medidas já foram tomadas, como a centralização das áreas de eventos e comunicação para clientes e corretores, e a racionalização dos investimentos em promoção da marca e apoio a vendas.  "A SulAmérica tem se concentrado na visibilidade da marca institucional e de produtos (publicidade e propaganda) e no apoio ao processo de vendas (eventos, material pré-venda, campanhas, geração de leads, etc)", constata.

Vieira elucida que, embora a experiência seja nova, alguns resultados podem ser observados. "O processo é muito recente, mas já podemos sentir uma grande motivação interna e externa, principalmente com os corretores de seguros. Além disso, o bom desempenho de vendas até o momento tem mostrado que a união deu certo", conclui.

Leia também
Otimizar verba de marketing e convergir serviços
Mais resultados com menos custos
Consultoria estratégica: o que é e como funciona
Seu planejamento estratégico pode estar furado





Comentários


Publicidade

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2015.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss