Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Reportagens

Publicidade

Com cada vez menos tempo, planejamento fica para depois

Com milhares de tarefas a fazer por dia, há quem não tenha mais tempo para pensar na estratégia. Mas será que o curto prazo vai garantir o futuro da empresa?

Por | 23/05/2007

bruno@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Com cada vez menos tempo, planejamento fica para depois

Por Bruno Mello
bruno@mundodomarketing.com.br

De quantas pessoas você já ouviu a frase a seguir ao perguntar um simples tudo bem? "Tudo bom, na correria de sempre" ou "Não posso falar agora, estou correndo" ou ainda "Não fiz metade do que tenho para fazer hoje" e mais "Isso agora não, tenho que resolver outra coisa urgente". Difícil não achar um único exemplo. Quem nunca quis um dia com 48 horas? Nesta atribulação quase que diária, apagando os incêndios do dia-a-dia e se preocupando apenas com os resultados do final do mês, há tempo para planejar o lucro em médio e longo prazo? Há tempo para se debruçar sobre o planejamento estratégico ou sobre o plano de marketing da empresa?

 Tempo há, diz o especialista Christian Barbosa (foto), diretor da Tríade do Tempo. O problema é a má gestão deste bem cada vez mais precioso. "As pessoas têm a sensação de que o mundo está correndo ao invés de andar e parte da culpa é da tecnologia que coloca a informação de forma muito mais rápida na nossa frente", explica Barbosa. "Mas o pessoal de marketing tem uma rotina um pouco diferente que dificulta ainda mais em conseguir tempo para realizar tudo o que se pretender fazer", completa em entrevista ao Mundo do Marketing.

De acordo com Leila Vélez, Sócia do Instituto Beleza Natural e Coordenadora de Marketing da empresa, fazer um planejamento de longo prazo é o básico. "O maior problema do profissional de marketing, no entanto, é que ele só olha para o próprio umbigo", diz. Gian Franco Rocchiccioli, Sócio-diretor Sart/Dreamaker Brand & Design, tem opinião semelhante. "Criou-se uma cultura de que falta tempo para todo mundo. Se você avaliar a tomada de liderança da Toyota verá que eles privilegiam o resultado no longo prazo, enquanto na GM faziam planos para curto prazo", compara. "Parece que as pessoas acham que o curto prazo vai construir o longo prazo", emenda em entrevista ao site.

Há solução?
O ato involuntário de chegar à empresa e ver o que tem para fazer hoje e sair fazendo riscando as tarefas concluídas é condenado por Christian Barbosa, da Tríade do Tempo. "É preciso ter um planejamento mínimo, que pode ser de uma semana, para não deixar tudo que se precisa fazer em prazo de urgência", recomenda. O executivo cuja empresa trabalha para educar os executivos a gerenciarem seu tempo lembra que até a leitura diária pode atrapalhar. "A agência de notícias Reuters produz 27 mil páginas de informação por segundo. Se vê um artigo na internet, é preciso catalogar essa informação. Não dá pra ler tudo, por isso é preciso ver o que é mais importante ler na hora ou guardar e depois procurar", ensina.

 Sabendo que deve traçar as metas para longo prazo, mas consciente de que o planejamento não pode ser uma camisa de forças, Leila Vélez, do Beleza Natural, trabalha com um olho na cena e outro no filme. "Às vezes, aquilo que você planeja para daqui a cinco anos tem que ser mudado. Então, é preciso traçar as estratégias e objetivos, implementar e avaliar continuamente porque sempre haverá mudanças", ressalta em entrevista ao Mundo do Marketing. Com os objetivos traçados, sua equipe visita as casas dos consumidores para ver de perto como estão usando seus produtos. "Mas não deixamos de participar de eventos na França, na Itália e nos Estados Unidos para não perder as oportunidades que aparecem todos os dias", salienta.

Se o executivo já está sem tempo para as ações do cotidiano, pensar na marca pode parecer exercício de futurologia ao qual ele não quer pagar para ver. "A falta de tempo para trabalhar a marca é fruto da falta de tempo para planejar", aponta Franco Rocchiccioli (foto), da Sart/Dreamaker. "Porém, marca é cultura. Precisamos enxergar o longo prazo. Quando se fala de marca não se pode pensar em curto prazo, claro, mas o grande problema é que alguns acionistas só vêem o que está expresso no final do mês. Assim, é a mesma coisa que construir um prédio sem fundação", conclui.

Acesse
www.belezanatural.com.br
www.sart.com.br
www.triadedotempo.com.br

Comentários


Acervo

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss