Reportagens

Publicidade
Publicidade
Mercado

“Indústria 4.0 não causará demissões, mas uma realocação de talentos”, afirma especialista da Omron Brasil

Apesar de já dispor dos mecanismos necessários para inovação, indústria nacional ainda precisa fomentar o investimento em pessoas para crescer

Por Cláudio Martins - 13/05/2021

Muito se vem falando sobre a Indústria 4.0 nos últimos anos e sua possibilidade de trazer inúmeras vantagens competitivas para o setor no Brasil. Embora seja encarada como um paradigma tecnológico, a implantação da Indústria 4.0 depende de pessoas - são elas que, de fato, pilotarão esse novo momento da produção.

E quem chama atenção para esse detalhe é Tamires Almeida, especialista em produtos da Omron Brasil, convidada do MBM Talks, programa produzido pela MBM Solutions e focado na promoção das boas práticas na indústria. A profissional aponta que a Transformação Digital é um processo inevitável e mais do que a compra de insumos tecnológicos, a transição para a Indústria 4.0 é uma mudança de cultura.

Neste sentido, a aderência dos colaboradores é fundamental. “Ao contrário do que se pensa, a Indústria 4.0 não causará demissões em massa, mas sim uma realocação de talentos. E isso gerará oportunidade e especializações neste novo cenário. Se pararmos para observar as outras revoluções industriais pelas quais a humanidade já passou, tivemos mudanças tão impactantes ou até mais do que as propostas pela Indústria 4.0” pondera Tamires."

Diferente da adesão a um software ou update em um determinado equipamento, o processo de implantação da Indústria 4.0 não acontece da noite para o dia. É uma de mudanças e aprendizados com foco na otimização e melhoria contínua do processo. Somado a esse processo, ainda vivemos uma mudança na forma como as pessoas consomem que exige da indústria algo que até então não era de sua natureza: flexibilidade.

Leia também: IA e IoT na Indústria 4.0
 

“Customização em massa”

Se no passado, a comunicação da indústria com o consumidor era uma via única, hoje, impera o diálogo. Com um consumidor conectado, exigente e com necessidades muito específicas, a produção precisa se adaptar para entregar produtos e experiências únicas.

“No passado, vivemos a era da produção em massa e hoje, o presente e futuro é o tempo da ‘customização em massa’”. É necessário que as distintas áreas da indústria, manufatura, manutenção, entre outras se adequem a essas novas necessidades do consumidor” aponta a Especialista de Produto da Omron Brasil durante a conversa do MBM Talks.

+ Especialista explica em vídeo sobre a "Indústria 4.0 sem mistério"

Processo flexível para se tornar competitivo em nível global

Se pela perspectiva do consumidor, a Indústria 4.0 ajuda a, a partir dos dados, construir produtos e experiências customizadas, para competitividade das empresas, ela se torna extremamente necessária para sobrevivência em um ambiente cada vez mais competitivo.

“A competição, hoje, saiu do patamar local para o global. Se o processo industrial não for enxuto e flexível, provavelmente a empresa não conseguirá manter o produto dela por muito tempo no mercado, perdendo espaço. As práticas da Indústria 4.0 são exatamente isso:um facilitador para conectar esses dois pontos distintos - o cliente e a melhora do processo. O Brasil ainda tem um longo caminho até alcançar a maturidade necessária, mas para dar esse salto, precisará apostar nos mecanismos de fomento e capacitação dos colaboradores.” 

Veja o episódio completo do MBM Talks sobre IoT e IA na Indústria 4.0 para mais insights sobre o mercado

MBM Solutions