Mercado de arroz se diversifica e busca consumo premium | Mundo do Marketing

Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Reportagens

Mercado de arroz se diversifica e busca consumo premium

Marcas apostam em novas receitas e em outros tipos de grãos para atrair o consumidor preocupado com alimentação saudável e buscar espaço em restaurantes e bares

Por | 13/06/2013

anapaula@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

premium,Granfino,Arroz,Josapar,Tio João,RuzeneO arroz faz parte das refeições diárias dos brasileiros há muitos anos, mas com o tempo deixou de ser visto apenas como um alimento simples. Graças à introdução de diferentes variações do grão e da popularização de novas formas de consumo, o item ganhou uma nova posição no mercado que destaca as várias combinações possíveis, seu valor nutricional e até seu aspecto sofisticado para ganhar espaço no consumo premium. 

Há menos de 50 anos, o produto era vendido só a granel no país, mas hoje as marcas se diferenciam nas embalagens, sabores e inovações. Além de ser promovido como um complemento da refeição, o arroz também é vendido como um prato completo, caso, por exemplo, dos inúmeros risotos e do arroz carreteiro. Lançamentos que exploram atributos como praticidade estão entre as opções disponíveis no mercado.

A Josapar está no mercado há 90 anos e investe em tipos de arroz do Brasil e do exterior, como a variedade da cozinha japonesa Nikkoh, para evidenciar que o produto pode ser bem mais do que o tradicional arroz agulha, conhecido como branco. "Há quase 10 anos, a Josapar diversifica a sua linha de produtos na categoria arroz para oferecer mais opções aos consumidores. Além da facilidade no preparo, as pessoas estão cada vez mais interessadas por alimentos com maior valor nutricional", destaca Bianca Maraninchi, Gerente de Marketing da Josapar, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Diferentes sabores e modos de preparo
A marca Tio João é a principal da empresa e tem em seu portfólio linhas com diferentes atributos visando o consumo, principalmente, das classes A e B. Os prontos, semi-prontos e o tipo "boil in bag", que requer apenas uma panela com água, sal e dispensa a necessidade de refogar, são voltados para as pessoas que passam o dia inteiro fora e, por isso, buscam praticidade.

premium,Granfino,Arroz,Josapar,Tio João,RuzenePara atingir os consumidores com diferentes sabores e opções, a marca aposta nas linhas Cozinha Fácil e Cozinha e Sabor. A primeira traz versões do arroz como complemento de pratos, com, por exemplo, brócolis ou ervas finas, e a segunda foca em refeições completas, que têm entre as opções Arroz com Galinha e Risoto à Parmigiana.

A ampliação de produtos oferecidos também pretende atender aos novos hábitos de consumo dos brasileiros. "A maior tendência que vemos hoje é a conscientização da importância de uma boa alimentação para a saúde. A empresa está investindo nisso com a linha Sete Grãos Integrais, que é rica em minerais, fibras e outros nutrientes", explica Bianca Maraninchi.

Novos públicos e canais de venda
A Granfino também percebeu a oportunidade de investir em saudabilidade e lançou recentemente o seu arroz integral. A companhia estuda lançar em breve outro arroz tipo premium e pretende incluir variações do produto no portfólio como uma estratégia para diversificar seu público e canais de venda. "Temos oito tipos de feijão, que são mais sofisticados. Então era interessante para a marca trabalhar com um arroz mais selecionado. No caso do tipo integral, percebemos que não existem tantos players no mercado", conta Felipe Lantimant, Gerente de Marketing da Granfino, em entrevista ao portal.

Além de oferecer mais uma opção para o consumidor que já conhecia a marca, a Granfino pretende atrair a atenção de públicos que procuram alimentos diferentes e diversificar os canais de venda entrando em bares e restaurantes. "A maioria das pessoas se alimenta mais nesses locais do que na própria casa e os estabelecimentos estão interessados em oferecer opções menos convencionais. Os preços entre o arroz branco e os outros também não tem tido uma diferença tão grande, o que estimula a experimentação", analisa Lantimant.

Além dos arrozes agulha, integral e parboilizado, existe uma enorme gama de tipos que vêm de outros países ou que vieram de fora, mas já são produzidos aqui. O Arroz Preto Ruzene é uma das marcas produtoras que trabalha com variações mais exóticas, como os grãos vermelho, preto, basmati e cateto. Os produtos são disponibilizados não apenas em lojas de produtos naturais, como o Mundo Verde, como também estão em grandes supermercados, caso do Pão de Açúcar e do Zona Sul.

premium,Granfino,Arroz,Josapar,Tio João,RuzeneValorização do produto
José Francisco Ruzene, fundador do Arroz Preto Ruzene, era produtor de apenas uma variedade quando decidiu investir no arroz preto e abrir a empresa. O baixo retorno com o tipo agulha e a dificuldade em ter retorno apenas com um produto foram os principais motivos, mas as particularidades do novo grão também contribuíram. Além de ter mais qualidades funcionais, a coloração e o aroma específico são características que destacam o item dentro da categoria. "É um grão diferenciado, mas sabíamos que não ia ser tão facilmente comercializado, exatamente por ser desconhecido", conta José Francisco Ruzene, proprietário do Arroz Preto Ruzene, em entrevista ao Mundo do Marketing. 

A empresa procurou então grandes chefs para mostrar as singularidades e qualidades do alimento e logo estabeleceu parceria com alguns nomes, como Alex Atala, que começou a desenvolver pratos para o restaurante D.O.M, de São Paulo. Depois disso, o produto também começou a ser parte das opções de alguns restaurantes a quilo e a ser procurado por pessoas que haviam experimentado e queriam prepará-lo em casa.

A intenção, no entanto, não é popularizar o grão. "Todo ano as vendas crescem um pouco porque é uma mudança gradativa na cultura alimentar das pessoas. Mas não queremos também popularizar, e sim valorizar o produto e mostrar seus diferenciais para o consumo ocasional", explica José Francisco Ruzene.

Veja a pesquisa do + Mundo do Marketing, exclusiva para assinantes, Nordeste: Democratização do consumo e a criação de valor. Nordeste cresce a taxas superiores nos últimos anos, impulsionado pelo comércio. Leia aqui.

pesquisa,consumo,valor,Nordeste

Comentários


Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2019.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2019. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss