Publicidade

Patrocínio

Publicidade
Publicidade Publicidade Publicidade
Mundo do Marketing Inteligência

Reportagens

Franquias aquecem o mercado brasileiro

O Boticário lidera em faturamento e ABF prevê aumento de 18% em 2010

Por | 18/10/2010

pauta@mundodomarketing.com.br

Compartilhe

Em 2010, o mercado de franquias no Brasil deve faturar 18% a mais que o ano passado, o equivalente a 10% ou 12% de crescimento no número de unidades. Entre os mercados com maior potencial, o nordeste aparece como oportunidade por conta do aumento do poder aquisitivo dos consumidores e espaço físico para a expansão das lojas. Apesar de O Boticário liderar com sobras a quantidade de lojas em funcionamento, com 2834, a categorias de Acessórios Pessoais e Calçados foi o setor que mais faturou em 2009. O crescimento chegou a 41,2%, seguido de Vestuário, com 37,5% e Informática e Eletrônicos (28,9%). Alimentação manteve o aumento anual e, em 2009, chegou a 21,8% a mais em faturamento.

Mesmo com estes números favoráveis, as franquias não devem ser planejadas como solução única para expansão nem podem ser vistas como certeza de sucesso. Com o crescimento do setor, algumas empresas acreditam que este modelo seja a solução, principalmente o pequeno empresário, que acha que o retono normalmente é rápido. "Franquia nada mais é do que ter um investidor no seu negócio", define Denis  Santini, professor do Núcleo de Varejo da ESPM-SP e do recém-criado curso de Marketing para Franquias, em entrevista ao Mundo do Marketing.

Falar em franquias no Brasil é o mesmo que citar O Boticário. Neste mercado, a rede é a lider dos rankings de faturamento e unidades abertas no país em 2009, seguida pelo instituto de ensino Kumon, que atende em 1599 estabelecimentos. Os dados da ABF (Associação Brasileira de Franchising) mostram que hoje são mais de 1700 franquias no Brasil e que, ano passado, o setor cresceu 14,7% em faturamento se comparado a 2008.

Liderança O Boticário
De uma pequena farmácia de manipulação em Curitiba, em 1977, para a liderança, O Boticário cresceu com base na qualidade dos produtos e dois anos depois da primeira loja a rede inaugurou o segundo ponto de venda no Aeroporto Internacional Afonso Pena, na mesma região. "As pessoas que passavam pelo aeroporto compravam os produtos para presentear ou revender. Esse foi o primeiro passo para a abertura da primeira franquia, em Brasília, em 1980", explica Osvaldo Moscon, Gerente Executivo de Canais de Vendas de O Boticário, em entrevista ao site.

Cinco anos depois da primeira franquia, O Boticário já possuia cerca de 500 lojas pelo Brasil. Hoje são mais de 900 franqueados em 1550 municípios no país. Para chegar ao patamar, a empresa desenvolveu um processo de expansão de lojas a partir de análises do mercado e identificação de oportunidades. "Em pesquisa anual com a rede, obtivemos um índice de satisfação de 92% dos franqueados. Sabendo que os franqueados estão satisfeitos, temos mais segurança no bom desempenho deles", conta Moscon.

Mesmo diante de um cenário positivo, os franqueados de O Boticário recebem orientações e compõem o quadro de investimento da rede. "Por mais que a marca seja consolidada e forte, é preciso muitos outros investimentos dos dois lados. Tanto do franqueado quanto da franqueadora. Não é apenas o modelo de negócios que esta em alta. O que faz a diferença é a profissionalização, a empatia e a determinação", garante o Gerente Executivo de Canais de Vendas de O Boticário.

Franquia não é solução, mas aquece mercado brasileiro

Selo para validar franquias
Boa parte do bom momento vivido pelos franqueados e franqueadores no Brasil é, entre outros motivos, fruto do poder de compra da classe média. Com mais renda disponível, estes consumidores passaram a investir em produtos e serviços para o seu bem-estar. Prova disso é que os setores de calçados, de vestuário e de alimentação estão no topo da lista. A busca por uma franquia de qualidade e que traga retorno conta com o Selo de Excelência em Franchising, chancelado às redes que estiverem enquadradas nas normas da ABF e também que tenham bom retrospecto em pesquisa feita com os franqueados.

Franquias aquecem o mercado brasileiroA Andarella detém o Selo ABF desde 2006 e concorre para que em 2011 seja chancelada pela entidade novamente. A boutique de calçados carioca possui 56 lojas, 43 delas franquias, e já planeja a abertura de sete novas lojas, ainda este ano, em São Paulo, Curitiba, Mato Grosso do Sul e Uberlândia. Porém, a rede está de olho no mercado nordestino, que apresenta grande potencial em abertura de franquias.

"O nordeste está se destacando pelo incentivo de bancos e empresas finaceiras e é a que nos dá mais retorno atualmente", afirma Fábio Prata, Gerente de Franquias e Expansão da Andarella, que possui 17 franquias na região, em entrevista ao Mundo do Marketing. "Outro fator que ajuda no crescimento é a abertura de novos shoppings, o que estimula o negócio de franquias. Se o nordeste se mostra cada vez mais receptivo às franquias, no sul e no norte o movimento ainda é timido", emenda Marcos Hirai, Diretor da Franchising Store, em entrevista ao portal.

Mercado X franquia
Hoje são mais de 1700 marcas franqueadas no Brasil e, em média, o retorno sobre o investimento é de 36 meses. Para tornar o negócio ainda mais atrativo, a ABF constatou que o índice de mortalidade das franquias é de menos de 1% ao ano. "Quando um franqueado pretende aumentar a rede o valor é mais baixo e isto acarreta em um poder maior de negociação. A cada unidade aberta, a empresa fortalece a sua marca", ensina Ricardo Camargo, Diretor Executivo da ABF.

A média de maturidade de uma franquia, de acordo com a ABF, é de quatro a cinco anos. Após este período já é possível dominar os detalhes do manuseio da operação e isto é mais uma vantagem sobre os outros modelos de negócios. Enquanto a média de tempo para abrir uma empresa no Brasil é de seis meses, em 60 dias é possível abrir uma franquia.

Para completar os pontos positivos de se investir em franquias, a ABF sinaliza com a posibilidade de se obter informações de mercado de outros franqueados, receber treinamento e já fazer parte de um regime de software pronto para operar. "O índice de mortalidade é menor se comparado às operações independentes e entendemos que o franqueado tem um apoio do franqueador", diz Prata, da Andarella.

Franquia não é solução, mas aquece mercado brasileiroDicas e benefícios
O mais recomendável na Franchising Store é um negócio que já tenha dado provas de sucesso em outros lugares. E a melhor maneira é falar com quem já comprou aquela franquia antes. "Desconfie de franquias que prometem muito resultado e que custam pouco. Evite cair nas tentações das franquias baratas. Não existe nada fácil em franquia e nem garantia de sucesso", alerta Marcos Hirai (foto), Diretor da Franchising Store.

Além de ser um bom negócio para os empreendedores, as franquias representam mais de 700 mil empregos no país. Só em 2009, 72 mil pessoas conseguiram trabalho em lojas franqueadas. Muitas destas carteiras foram assinadas pela primeira vez, o que se transforma em mais um motivo para incentivar novas franquias no país.

Um dos modelos de franquias mais conhecidos do mundo é também referência em programas de iniciação à carreira profissional. "O McDonald's tem um programa forte de incentivo ao primeiro emprego e sinto falta disso nas franquias de marcas nacionais. Em média, as franquias são responsáveis por sete novos empregos por unidade", completa o professor Denis Santini.

Franquias aquecem o mercado brasileiro





Comentários


Acervo

Publicidade

Publicidade

Voltar ao Topo

Copyright © 2006-2018.

Todos os direitos reservados.

Assine o Mundo do Marketing Inteligência

Copyright © 2006-2018. Todos os direitos reservados. Todo o conteúdo veiculado é de propriedade do portal www.mundodomarketing.com.br. É vetada a sua reprodução, total ou parcial sem a expressa autorização da administradora do portal.

Auditado por: Metricas Boss